Escolha uma Página
Dina Karla Miranda
Corumbá (MS) – O Exército Brasileiro, por intermédio da 18° Brigada de Infantaria de Fronteira, apoiado por diversos órgãos de segurança pública, realizou nesta quinta-feira, 16 de junho, uma coletiva para a imprensa com objetivo de esclarecer sobre o funcionamento da Operação Atalaia 2011.
A Operação Atalaia, iniciou em Corumbá no dia 14 de junho, até agora foram realizados 08 patrulhas motorizadas, 6 patrulhas fluviais, 5 postos de controle fluviais, além de diversos patrulhamentos a pé em toda a área de fronteira. Já foram revistados 1.467 veículos terrestres e 25 embarcações, nas estradas e rios da região.
De acordo com o Chefe do Estado Maior da 18 ° Brigada de Infantaria de Fronteira, Nicanor Marques Neto, o objetivo da operação é prevenir e coibir delitos transfronteiros e ambientais, intensificando a presença das Forças Armadas nos quase 650 km de fronteira do Mato Grosso do Sul com a Bolívia e o Paraguai.
Crimes transfronteiriços e ambientais: Entrada e saída ilegal no território nacional de armas, munições e demais produtos controlados. Tráfico de entorpecentes e substâncias que causam dependência física ou psíquica ou matéria prima, contrabando ou descaminho, tráfico de plantas e animais. Exploração predatória ou ilegal de recursos naturais. Prática de atos lesivos ao meio ambiente, à diversidade e à integridade do patrimônio genético do país.
Para a ação foram escalados 500 militares que atuam na região de Corumbá, Coimbra e Porto Murtinho, intensificando a fiscalização e controle das vias terrestres e fluviais, participando também dos Bloqueios de Controle de Estradas, realizando patrulhas nas vias conhecidas como “cabriteiras”.
Trilha do Gaúcho
A Trilha do Gaúcho encontra-se em área da União, sob responsabilidade e administração do Exército Brasileira, sendo, portanto considerada área militar de uso restrito e acesso proibido. A entrada não autorizada em área militar, como é o caso da trilha constitui crime.
Skip to content