Escolha uma Página

Manaus – As 132 testemunhas de dois processos resultantes da “Operação Saúva”, deflagrada pela Polícia Federal (PF) em 2006, serão ouvidas ao longo desta semana na Justiça Federal. O juiz da 2ª Vara Federal Márcio Coelho de Freitas irá interroga-las a partir das 9h desta segunda-feira (13) e não tem hora exata para terminar os trabalhos a cada dia.
A “Operação Saúva” desarticulou uma quadrilha especializada em fraudar licitações de gêneros alimentícios do município de Manaus, do Estado do Amazonas e do Exército.Na ocasião, a PF estimou que o grupo, em seis anos, movimentos cerca de R$ 354 milhões. A “Operação Saúva” teve grande repercussão pública também por flagrar conversas telefônicas entre políticos do Estado articulando criações de leis para pensões vitalícias e revelou interesses eleitoreiros, segundo o MPF, na indicação de conselheiros para o Tribunal de Contas do Estado (TCE).

Militares do 12º DSup que foram presos em 11 de agosto de 2006, por suposto envolvimento em irregularidades em licitações para aquisição de gêneros alimentícios no âmbito da 12ª Região Militar:
CORONEL INT R/1 VITOR AUGUSTO DE FELIPPES, CORONEL QMB FRANCISCO NILTON DE SOUZA JÚNIOR, TENENTE- CORONEL INT OMAR SANTOS, CAPITÃO INT ERICK CORREA BADUÍNO DE LIMA, CAPITÃO INT CARLOS ALBERTO TEIXEIRA RAMOS, CAPITÃO INT HENRIQUE DOS SANTOS BOTELHO, CAPITÃO INT FÁBIO JOSÉ CAPECCHI, SEGUNDO-SARGENTO INT FRANCIVALDO DA COSTA GOMES, TERCEIRO-SARGENTO INT JOELSON FREITAS DE JESUS, TERCEIRO-SARGENTO INT Tmpr ALEXANDRE DA SILVA SOUZA. Fonte: Felix Maier – Usina das Letras 

Sentença pode sair até final de 2011
O juiz federal Márcio de Freitas estima que os três processos da “Operação Saúva” que tramitam na 2ª Vara Federal devem ter sentença até o final do ano.
São 56 pessoas denunciadas pelo MP por formação de quadrilha, fraude em licitação e até fornecimento de alimentos estragados para merenda escolar e de cestas básicas para ribeirinhos.
Com informações de A Crítica

Skip to content