Escolha uma Página
A Metrosal, consórcio responsável pelas obras do metrô, começará a ser fiscalizada pelo Exército. O general Rosalvo Leitão de Almeida, do Departamento de Engenharia do Exército, se reuniu na quinta-feira (24) com o prefeito João Henrique e o secretário da Casa Civil, João Leão, para começarem a definir as diretrizes da fiscalização.
Segundo Leão, ficou definido que, caso a Metrosal não conclua o serviço dos dois trechos iniciais do metrô, o Exército assumiria a construção. “Eles têm ótimas equipes de engenharia”. Para isso, o Exército será contratado pela prefeitura, embora o valor que isso custará não seja conhecido.
“O dinheiro vai sair do Ministério das Cidades. Temos R$ 4 bilhões liberados, só dependendo de projetos, e não podemos perder isso”, disse Leão. Segundo ele, um pré-orçamento feito pelo consórcio definiu que serão precisos mais R$ 86 milhões para a conclusão do primeiro trecho e R$ 463 milhões para a construção do segundo até o Campo da Pólvora.
CORREIO 24HORAS
Skip to content