Escolha uma Página
Soldados da Base Aérea de Canoas partem para missão no Haiti
As Forças Armadas brasileiras comandam a missão com auxílio de efetivos de mais de 20 países.

Amilton Belmonte
Foto: Claiton Dornelles/GES
Canoas (RS) – Sob aplausos e lágrimas de mais de 300 familiares, 130 soldados do 14º Contingente Brasileiro da Força de Paz da ONU (Minustah) embarcaram às 13h40 desse sábado da Base Aérea de Canoas em direção ao Haiti. Com pernoite em Boa Vista, capital de Roraima, a previsão de chegada em Porto Príncipe, capital do Haiti, é para o meio-dia de hoje. No país caribenho, a tropa se somará a outros três grupos enviados desde o último dia 17. Com o embarque de mais três efetivos até 7 de março, totalizarão 810 homens do 14o Contingente, 90% deles gaúchos.
Os soldados brasileiros atuarão por seis meses e com uma única missão. “Nosso foco é prosseguir na garantia da manutenção da segurança e paz do Haiti e dando suporte para que as organizações civis possam trabalhar”, frisa o tenente-coronel do Exército João José de Freitas Silva, responsável pelo embarque
das tropas. Freitas Silva enfatiza que os soldados passaram por seis meses de treinamento, onde conheceram o formato da operação e tiveram informações sobre direito humanitário e a característica social da missão. “O ganho profissional desses homens é imenso, mas a vivência pessoalémaior ainda”, destaca o oficial.
Saudade
Dando colo aos gêmeos Taoany e Theylor, um ano, o soldado Cléber Vaz, 25 anos, do 19o Batalhão de Infantaria Motorizado (19º BIMtz) de São Leopoldo, tentava conter as lágrimas na despedida. “A missão nos foi dada e temos de cumprir, mas a saudade que levamos não tem tamanho.” A Internet é o meio escolhido para manter contato com a família.
Primeira viagem
O abraço demorado e o orgulho dos pais, Clemair e Celso, deram motivação ao soldado Thiago Garcia, 22 anos, desde 2008 servindo no 19º BIMtz, de São Leopoldo. “É uma realização profissional”, ressaltava ele. Natural de Parobé, a família Garcia se deslocou a Canoas para incentivar o filho, que fazia a sua primeira viagem de avião e a primeira para fora do Brasil.
Saiba mais
A missão das nações Unidas para a Estabilização no Haiti ou minustah é uma missão de paz criada pelo Conselho de Segurança das nações Unidas em 20 de abril de 2004. Objetiva restaurar a ordem no Haiti após um período de insurgência e a deposição do presidente Jean-Bertrand Aristide. Tem como focos a pacificação e desarmamento de grupos guerrilheiros e rebeldes, a promoção de eleições livres e informadas e a formação e desenvolvimento institucional e econômico do Haiti.
Em outubro passado, o Conselho de Segurança da OnU resolveu reafirmar o compromisso de reconstrução do país após o terremoto de janeiro de 2010. Desde 2004, as Forças Armadas brasileiras comandam a missão com auxílio de efetivos de
segurança de mais de 20 países.
DIÁRIO DE CANOAS
Skip to content