Escolha uma Página
Daniel Penna-Firme
A terceiro-sargento aluna do Exército, Daiane Pereira Fernandes, de 25 anos, morreu durante atividades do estágio básico de sargento técnico temporário, em Gericinó, na Zona Oeste. Ela teria se sentido mal e teve a morte cerebral confirmada na última segunda-feira. O enterro foi realizado na manhã de hoje no Cemitério do Caju. Segundo a família, Daiane, que havia começado o estágio no dia 4 de janeiro, se queixava com frequência do excesso de atividades fisicas e dizia estar cansada.
– Era uma menina alegre e saudável, que não tinha qualquer problema de saúde. Ela dizia que o treinamento era puxado demais. O sonho dela era ser militar, mas acabou virando um pesadelo. Não havia necessidade de submeter minha sobrinha a isso. Ela ia cuidar da parte administrativa e não ia para a área operacional. É uma desgraça – contou a tia da jovem, Lúcia Maria Álves Monteiro, de 52 anos.
De acordo com a tia de Daiana, ao longo do treinamento, as unhas do pé da jovem ficaram roxas, e ela vinha reclamando muito da carga de exercícios físicos. “Nós perguntamos ao pessoal do Exército: ‘Por que ela morreu? Por que ela não foi colocada em observação logo depois de ter passado mal?’ Ninguém nos respondeu nada. Nós entregamos nossa sobrinha viva e saudável, e recebemos ela morta”,
Daiane era casada e tinha um filho de um ano e seis meses. Ela havia passado mal no dia último dia 31, quando foi levada para o Hospital Centralo do Exército, em Benfica. De acordo com familiares, a mulher teria sofrido cinco paradas cardíacas antes da morte cerebral ser confirmada. A assessoria de imprensa do Comando Militar do Leste não soube informar em qual unidade do Exército da cidade do Rio de Janeiro a jovem fazia o treinamento. Em nota, o CML apenas confirmou a morte. Após a conclusão do estágio, Daiane receberia a patente de terceiro-sargento temporário.
EXTRA/G1/GLOBO VÍDEOS
Skip to content