Escolha uma Página
HAITI… E O EXÉRCITO BRASILEIRO
LU K.
Depois dos relatos sobre a minha rápida passagem pelo Haiti, não poderia deixar de registrar o quanto fomos bem recebidos pelo Exército Brasileiro. Tudo foi extremamente bem organizado. Desde a chegada até a saída de Porto Príncipe. Acho que muita gente imagina que o contingente vive em condições ruins…. sempre vem aquela imagem de filme, com barracas, cozinha improvisada e instalações nada confortáveis. Muitos jornalistas levaram estoques de barras de cereal e frutas. Conclusão? Todos os lanchinhos foram doados.
A base militar do Brabatt 1 (1º Batalhão) é uma surpresa. Alojamentos, escritórios e banheiros ficam em containeres com refrigeração. As acomodações são simples, mas dignas. O banho é quentinho. O refeitório, que por sinal é enorme, serve uma comida deliciosa. Não sei se é porque almoço num restaurante bem mais ou menos aqui de Brasília, mas realmente gostei. Todos os pratos bem temperadinhos! E como é bem servido, difícil ficar com fome entre as refeições.

Os militares foram muito amáveis e solícitos com o grupo de jornalistas (até porque, vamos combinar, jornalista consegue ser chato!). Na chegada, já ganhamos o boné da Minustah, repelente, algumas lembranças e um folder com orientações importantes e algumas regras. Por sinal, até achei que haveria mais normas dentro da base. Procurei segui-las sem problema algum. Mas claro que sempre tem quem reclama (para mim, apenas uma forma incoveniente de chamar a atenção). Tínhamos uma sala de imprensa com wireless e telefone. A base ainda conta com o Bar Brasil, onde são realizados eventos, quadra de futebol e até uma academia. A música bomba por lá até as 22h, depois é horário de silêncio.

Na despedida, tivemos um jantar especial, com a presença de coronéis e comandantes. Todos agradeceram a nossa presença e o nosso esforço para mostrar o trabalho do Exército no Haiti. Ganhamos um pendrive com todas as fotinhos dos jornalistas na missão. Entre as bebidas servidas nesta noite, estava a cerveja Presidente, da República Dominicana. Bem gostosa!!!
Acho que, frente a esta colorosa recepção, quem tem que agradecer somos nós! E parabéns aos militares que passam pela experiência de Porto Príncipe…. sem dúvida, uma experiência transformadora.
Skip to content