Escolha uma Página
Ministério da Defesa da França diz que manteve conversas com Jobim e Patriota e está confiante na conclusão do negócio
O governo da França torce para que o Brasil decida-se pela compra de 36 caças Rafale
A decisão brasileira sobre a compra eventual de aviões de combate franceses Rafale deverá ser anunciada “em três ou quatro meses” pelo governo da nova presidente, Dilma Rousseff. O prazo foi divulgado pelo Ministério da Defesa da França nesta quarta-feira, em Paris. Cabe a Dilma, agora, tomar a decisão sobre a aquisição de 36 caças, destinados a modernizar a Força Aérea Brasileira.
As autoridades francesas acreditam que as mudanças políticas no Brasil e as prioridades de orçamento da presidente não devem causar prejuízos ao Rafale, em relação a seus concorrentes. E esperam “boas notícias para o ano que chega”.
O ministro da Defesa, Alain Juppé, conversou sobre o assunto no sábado, em Brasília, com os titulares da Defesa, Nelson Jobim, e das Relações Exteriores, Antonio Patriota. “Acho que podemos ficar confiantes”, declarou ele na terça-feira, recusando-se, no entanto, a fazer anúncios de fatos “antes que sejam decididos”.
O Rafale da Dassault disputa a compra com o F/A-18 Super Hornet da americana Boeing e com o Gripen NG da sueca Saab, num negócio avaliado entre 4 e 7 bilhões de dólares.
Além disso, conversações sobre a venda do Rafale foram retomadas com Abu Dhabi, após o encontro de meados de dezembro, em Paris, entre o presidente Nicolas Sarkozy, o príncipe herdeiro, xeque Mohamed bin Zayed Al Nahyan, e o ministro das Relações Exteriores dos Emirados Árabes Unidos.
A França e os Emirados negociam desde 2008 a venda de 60 caças construídos pela Dassault.
Veja.com, com agência France-Presse
Skip to content