Escolha uma Página
O comandante do Forte de Copacabana, coronel Afonso Henrique Pedrosa, disse que o Exército somente aguarda o resultado da perícia das armas dos militares para concluir o caso do jovem baleado no Arpoador, no último domingo, após participar da Parada Gay.
A perícia vai revelar se o tiro foi disparado acidentalmente ou não.
Segundo ele, os militares confessaram que estiveram no local, após a apresentação das provas, mas negaram que tenham praticado homofobia. O comandante acredita que os militares foram até o Parque Garota de Ipanema para afastar o grupo de homossexuais do local, porém, essa não é uma atitude de rotina dos militares, até porque eles não tem autorização para atuar fora do Forte.
O comandante aproveitou para reforçar que a corporação não aceita nenhum tipo de comportamento ilícito de militares. 
“Nenhum tipo de conduta ilícita fica impune no Exército Brasileiro. Agora, o caso passa para a esfera judiciária”, disse.
Skip to content