Escolha uma Página
alt

Hédio Fazan/Dourados Agora Reprodução
 Toda a faixa de fronteira de Mato Grosso do Sul com países vizinhos, Paraguai e Bolívia, está “fechada” a partir deste sábado com fiscalização do Exército Brasileiro através da “Operação Cadeado 4” criada para coibir crimes transfronteiriços e ambientais. A operação envolve 800 militares e cerca de 130 viaturas, com apoio dos órgãos de segurança pública do estado. A Operação Cadeado 4 iniciada hoje “não tem data prevista para terminar e faz parte do adestramento permanente da tropa e profissionalismo de seus integrantes”, informa em nota o tenente-coronel Pedro Paulo Perez Pimenta, oficial de comunicação da Brigada Guaicurus, de Dourados. 
Além da Brigada Guaicurus, a mobilização envolve o 20º Regimento de Cavalaria Blindado, de Campo Grande; o 10º Regimento de Cavalaria Mecanizada, de Bela Vista; o 11º Regimento de Cavalaria Mecanizada, de Ponta Porã; do 17º Regimento de Cavalaria Mecanizada, de Amambai; o 9º Grupo de Artilharia de Campanha, de Nioaque; a 4ª Companhia de Engenharia e Combate Mecanizada, de Jardim; e o 28º Batalhão Logístico, da 14ª Companhia de Comunicações Mecanizada (Esquadrão de Comando da 4ª Brigada de Cavalaria Mecanizada) e o 4º Pelotão de Polícia do Exército, de Dourados, que fazem parte das Unidades Orgânicas da 4ª Brigada de Cavalaria Mecanizada.
Desde agosto deste ano, as Forças Armadas brasileiras têm poder de polícia para atuar na região de fronteira, conforme lei aprovada pelo Congresso Nacional e sancionada pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva no dia 25 daquele mês. Pelo texto, as corporações do Exército, Marinha e Aeronáutica podem fazer patrulhamento, revista de pessoas, veículos, embarcações e aeronaves e prisões em flagrante. Essas atividades serão permitidas tanto nas fronteiras terrestres quanto nas águas internas e marítimas. 
JORNAL DIA DIA(Com informações do site Dourados Agora) 
Skip to content