Escolha uma Página
Em nota, Neusa Felipetto Machado, viúva de um dos passageiros mortos no vôo 1907 da Gol, em setembro de 2006, discorda da condenação do controlador de vôo Jomarcelo Fernandes a 1 ano e 2 meses de prisão.
Neusa, que era esposa de Valdomiro Henrique Machado, um dos 154 mortos no acidente, pede a condenção dos americanos que pilotavam o jato Legacy que se colidiu contra Boeing 737 da Gol, que havia saído de Boa Vista e faria escala em Manaus, Belém e Brasília e teria como destino final o Rio de Janeiro.
Para Neusa, os americanos não poderiam ter desligado o dispositivo que evitaria esse tipo de acidente, chamado de transponder. Em setembro deste ano, quando a tragédia completou quatro anos, familiares pediram que os pilotos ficassem sem trabalhar até o fim do processo.
Na ocasião, parentes das vítimas tentaram entregar, em São Paulo, aos representantes da American Airlines, companhia em que trabalha Jan Paul Paladino, um dos pilotos do Legacy, caixas pretas em protesto por ele continuar trabalhando. Mas não foram recebidos.
Skip to content