Escolha uma Página
Foto: Luiz Nicolella
Policiais da 81ª DP (Itaipu) começam a ouvir na segunda-feira familiares e vizinhos do major do Exército Bruno Ricchio, 43 anos, que executou a mulher dele, a dentista Ana Lucia Trotta, 41, e depois se matou na noite de quinta-feira, após uma discussão na residência do casal, em Itaipu. O crime foi presenciado por um dos filhos do casal.
A hipótese do crime ter motivação passional está sendo investigada. Sob clima de comoção, os corpos do major e da mulher foram sepultados ontem à tarde no Cemitério Parque da Colina, em Pendotiba, Niterói. Cerca de 100 pessoas, entre parentes e amigos do casal acompanharam o cortejo.
O major Ricchio era lotado no Instituto de Biologia do Exército, em Benfica, na Zona Norte do Rio.
“Servi com ele. Ele era muito fechado, mas brincava com os colegas. Ninguém sabe o que passou pela cabeça dele não hora”, revelou um amigo.
Skip to content