Escolha uma Página
Mulher de general morto confirma o drama das famílias que tiveram perdas no Haiti
“A Lei da indenização foi aprovada em junho e até agora nada… quanto tempo mais teremos que esperar?”
“Se uma Seguradora VENDE seguro para Militares dentro dos quartéis, ela tem que cobrir as peculiaridades da profissão…
 
“Alarmado” com o cenário de horrores que percebeu no Haiti logo depois do terremoto de janeiro e “penalizado” com a situação dos militares brasileiros que em nome da ONU tentam pacificar e ajudar os haitianos, o presidente Lula anunciou em Brasília que o governo ampararia as famílias dos militares que tiveram perdas (mortes), adotando duas medidas:

1) pagando indenizações legais.
2) fornecendo ajuda mensal para que os filhos dos militares pudessem continuar estudando.

Lula avisou: “Nunca, antes, neste País, o governo fez algo semelhante”. Dezembro está às portas, o ano passou, e o governo Lula não pagou ninguém até agora e nem se esforça para que isto ocorra. Isto ficará para o próximo governo. A carta abaixo é da mulher do General Zanin, Cely, que confirma a denúncia feita ontem aqui e expõe o modo cruel com que sua família está sendo tratada pelo governo que tudo prometeu e nada cumpre. Dona Cely também denuncia as seguradoras. Um caso como o outro podem e devem ser resolvidos imediatamente, política ou judicialmente.
 
Meu nome é Cely Zanin e sou esposa do Gen. Zanin (Cel Zanin) que faleceu no terremoto do Haiti em 12 de janeiro. Gostaria de agradecer sua matéria, divulgando o nosso caso. Todos os familiares dos militares que faleceram na missão da ONU no Haiti, ainda não receberam a indenização prometida em janeiro, pelo PRESIDENTE LULA !!!! Muito menos a ajuda mensal de estudos que ele também prometeu… o fim do ano está chegando e não recebemos nada até agora.
O projeto 41/2010 , que prevê o orçamento desta indenização está parado na Comissão Mista de Orçamento por causa das eleições, com o Senador Atila Lins desde o dia 24 de agosto!!!!– as viúvas podem esperar, não é mesmo ? A Lei da indenização foi aprovada em junho e até agora nada… quanto tempo mais teremos que esperar ? Como se não bastasse isso, tem também a POUPEX-FHE e a BRADESCO SEGUROS que NÃO reconhecem que eles tiveram morte acidental – na apólice eles pagaram como Morte Natural !!!!!! Alegando que a apólice não cobria terremoto… MESMO ASSIM A TÍTULO DE FAVOR !!!!!!!!!(que vergonha).
Mas se uma Seguradora VENDE seguro para Militares dentro dos quartéis, ela tem que cobrir as peculiaridades da profissão… no site da POUPEX eles se “gabam” de ter a 27 anos, diferencial para a família militar… e agora NÃO reconhecem a Missão Oficial deles… O Art. 799 do Código Civil é bem claro – se o segurado estiver em Missão Humanitária ou serviço Militar tem que pagar! Eles morreram fardados, dentro do Prédio da ONU que era o QG da missão!!!!!! Estamos tão desgastadas com tudo isso…já não basta todo o nosso sofrimento e ainda temos que lutar por um Direito nosso !!!!! Cely Zanin.
Skip to content