Escolha uma Página
No dia 23 agosto, um grupo com 35 militares do 36º Batalhão do Exército de Uberlândia embarca para o Haiti para mais uma missão. Uma oportunidade de ajudar e também ter uma experiência inesquecível.
Quem já participou deste tipo de trabalho relembra dos momentos com saudade. “Unidos pela força’ está na bandeira do Haiti. Para os sargentos do Exército Brasileiro a frase é quase um resumo da missão. É de lá que os sargentos Vital e Rezende trouxeram outras lembranças. O artesanato até explica a condição do país na época. A venda dos trabalhos era uma das principais fontes de renda da população.
Foram seis meses, entre dezembro de 2006 a junho de 2007. Período em que o confronto na região era intenso. A conquista de um prédio, o ponto forte 22, foi para eles o momento mais crítico, a principal lembrança depois do terremoto que devastou o país. A convivência em um local de cultura bem diferente. A tensão de ter que a qualquer momento entrar em combate. Mas sabe qual outra dificuldade lembrada por quem participou de uma missão de paz? A saudade da família.
Para a nova missão tudo está sendo preparado. Os equipamentos que a nova tropa vai levar para o Haiti já estão prontas. Com tudo, o peso pode passar de 15 kg. Mais uma responsabilidade para carregar.
De quem já participou de tudo isso vem a confirmação: as marcas dessa experiência não ficam só no emblema na farda.
Skip to content