Escolha uma Página

Na manhã desta terça-feira (27), às 8h, aconteceu a solenidade de recepção dos integrantes do Pelotão de Engenharia do 10º Contingente da Missão de Paz no Haiti.

A formatura, em homenagem aos militares, aconteceu no Largo do Quartel e contou com a execução do Hino Nacional do Brasil e desfile. Além da presença de autoridades civis e militares, o evento teve a presença de familiares e amigos dos soldados. 

 Cerca de 24 militares do Pelotão de Engenharia embarcaram para o Haiti no dia 05 de fevereiro, sob o comando do 1º Tenente Leandro Salazar Francisco, onde cumpriram a missão durante o período de seis meses, voltando ao Brasil no dia 22 de julho.

Coronel Marcos Renzeti cumprimenta os militares de boina azul, 
que participaram da Missão de Paz no Haiti

 

“Esta formatura representa a homenagem aos militares que foram até o Haiti e representaram nossa cidade e nosso país de forma muito brilhante. Hoje mostramos nosso reconhecimento ao trabalho de sucesso deste pelotão”, disse o comandante do 2º Batalhão, Coronel Marcos Renzeti Espúrio.
De acordo com o Prefeito João Ribeiro, o retorno destes militares é um momento de muito orgulho para a cidade e para os familiares. “Participar de uma Missão de Paz é algo muito marcante na vida das pessoas. Pindamonhangaba se orgulha muito destes soldados e tenho certeza que hoje é um momento de muita alegria para os envolvidos nessa missão humanitária tão bonita”, completou.

Prefeito João Ribeiro ressaltou a importância do trabalho dos militares 
e o orgulho em recebe-los nesta terça-feira

 

A Missão de Paz no Haiti foi criada pelo Conselho de Segurança da ONU (Organizações das Nações Unidas), em 2004. Em janeiro de 2010, um forte terremoto devastou o país, principalmente a capital, Porto Príncipe. Além da reconstrução física e estrutural, a ajuda humanitária é o principal trabalho desenvolvido pelos militares.
Segundo Salazar, comandante do 2º Pelotão de Engenharia de Força Paz no Haiti, o trabalho desenvolvidos pelos militares de Pinda foi muito bom. Além da reconstrução das bases militares de vários países e reconstrução de estradas, os soldados também ajudaram a população. “O exército brasileiro é bem visto no país. Acredito que seja porque não levamos apenas comida, mas também o abraço, a solidariedade”, explica.

Salazar completa ainda que o balanço é positivo sobre a presença dos militares de Pinda na Missão. “Na vida militar somos preparados para enfrentar situações como as que presenciamos no Haiti, mas voltamos da Missão mais maduros, dando mais valor a vida”, ressalta.
Skip to content