Escolha uma Página
Fernando Gonçalves (Texto e fotos)

//Specify affected tags. Add or remove from list:
var tgs = new Array( ‘div’,’span’ );

//Specify spectrum of different font sizes:
var szs = new Array( ‘xx-small’,’x-small’,’small’,’medium’,’large’,’x-large’,’xx-large’ );
var startSz = 2;

function ts( trgt,inc )
{
if (!document.getElementById)
return

var d = document,cEl = null,sz = startSz,i,j,cTags;

sz += inc;
if ( sz < 0 ) sz = 0; if ( sz > 6 )
sz = 6;

startSz = sz;

if ( !( cEl = d.getElementById( trgt ) ) )
cEl = d.getElementsByTagName( trgt )[ 0 ];

cEl.style.fontSize = szs[ sz ];

for ( i = 0; i < tgs.length; i++ ) { cTags = cEl.getElementsByTagName( tgs[ i ] ); for ( j = 0; j < cTags.length; j++ ) cTags[ j ].style.fontSize = szs[ sz ]; } }



Os paraquedistas se preparam
para salto de apresentação em Três Lagoas

Foi realizada na manhã desta quarta-feira (7) na sede da 2ª Companhia de Infantaria do Exército de Três Lagoas uma demonstração de salto de pára-quedas realizado por soldados paraquedistas do Exército brasileiro.
Participaram da ação ao todo 48 soldados paraquedistas que realizaram três “saltos de adestramento” com 16 militares por vez. Foi utilizado na demonstração um helicóptero de combate modelo Cougar, de fabricação francesa.
Durante o primeiro salto um soldado paraquedista, devido às fortes rajadas de vento, perdeu o controle do pára-quedas errando o local de aterrissagem vindo a se enroscar em fios de alta tensão da rede de energia elétrica, localizados na Rua Paranaíba no centro da cidade.
O paraquedista foi atendido no local pelo resgate do corpo de Bombeiros e passa bem.
 

AÇÃO
De acordo o Major Sérgio Oliveira comandante da 2ª Companhia essa ação fez parte de um exercício militar de “Defesa de Ponto Sensível” realizado na cidade durante os dias quatro e sete deste mês e contou com a participação efetiva de militares do serviço de Operações Especiais de Goiânia, Distrito Federal, Goiás e Rio de Janeiro, além de expressivo efetivo de militares da 2ª Companhia de Infantaria da cidade.
O exercício é chamado de “adestramento de ação e comando” funciona como se um país estivesse invadindo outro em guerra, e em Três Lagoas será empregado o efetivo de aproximadamente 250 militares.  O alvo da ação na cidade foi a usina de Jupiá, onde a suposta tropa inimiga deveria tomar o local e a outra deveria fazer a defesa.
Para a defesa da usina foram empregados 110 militares e para o ataque cerca de 80 destaca Major Sérgio Oliveira.

Segundo Oliveira o ataque efetivo foi realizado na madrugada desta quarta-feira (7) às 4h, várias explosões foram efetuadas em uma região rochosa às margens da usina de Jupiá.

Skip to content