Escolha uma Página

Militares das Forças Armadas transportam alimentos para povoado isolado em Alagoas

O povoado de Caruru, distrito do município de São José da Laje, cerca 110 quilômetros de Maceió, continua isolado mesmo após mais de uma semana das enchentes que atingiram o Estado de Alagoas. As pontes que davam acesso à comunidade, composta por 75 famílias, estão danificadas. Não há luz e a ajuda humanitária aos cerca de 400 moradores da localidade só chega por meio de helicópteros das Forças Armadas. Aeronaves da Força Aérea Brasileira (FAB) e do Exército transportaram no sábado, dia 26, cestas básicas que foram distribuídas para a população local, cuja principal atividade econômica é o trabalho nas lavouras de cana-de-açúcar. Veja como foi a enchente no povoado de Caruru
A situação no povoado é dramática. No único mercado da cidade, o estoque de mantimentos só dura uma semana. Uma cesta básica, com itens simples, sai por cerca de R$ 42 reais. O grande problema é que a população não tem dinheiro, pois os bancos mais próximos também estão com problemas por causa da falta de luz. Os mantimentos transportados pelas Forças Armadas têm sido fundamentais para a população. Josileide de Lima, 31 anos, recebeu os mantimentos e acredita que poderá sobreviver por mais duas semanas com os alimentos que chegaram nas asas das aeronaves das Forças Armadas. “Essa ajuda vai ser muito importante. Se não tivesse esse auxílio, não sei como seria. No mercado só pode comprar quem tem dinheiro”, diz Josileide de Lima. “Aqui a ajuda só chega de helicóptero. Não tem como. Os carros daqui estão todos parados e não conseguem transportar ninguém. E agora está acabando o gás. As pessoas estão cozinhando na casa dos vizinhos ou em fogão a lenha”, completa Josélia Lima, irmã de Josileide. Assista aqui a Operação de transporte de mantimentos realizada pela FAB
Quando uma aeronave chega ao povoado o alvoroço é total. Muitos estão vendo um helicóptero de perto pela primeira vez na vida. No pequeno campo de futebol, onde a aeronave pousa para desembarcar os alimentos, a população já se posiciona para transportar as cestas básicas, que são guardadas na escola da comunidade. O pequeno Willian de Souza Lima, com apenas 10 anos, apesar da pouca idade, é um dos voluntários que auxiliam na tarefa. “Eu sinto o maior prazer em ajudar o povo. Pego um carrinho de mão e trago para cá ou coloco uns três quilos no ombro e saio. Cansa , mas eu ajudo”, diz Lima.
Autoridades médicas também visitaram a comunidade de Caruru. O Major-Médico do Corpo de Bombeiros Militar do Estado de Alagoas, Antônio Luis Santos Medeiros, realizou uma análise das condições de saúde do povoado. “Estamos aqui para verificar a necessidade ou não de um hospital de campanha já que aqui não há acesso rodoviário para cá. Em termos de saúde, esta população não foi tão atingida. Há alguns problemas crônicos, de pele, mas nada grave no momento, Mas precisamos verificar daqui a uma semana, quando começarem a surgir as doenças decorrentes do contato com às águas, como diarréia que é mais aguda, hepatites leptospirose e outras doenças”, explicou o médico.
Assista os depoimentos

Fonte: Do enviado especial, Tenente Flávio Nishimori
FAB

Skip to content