Escolha uma Página
Atletas com treinamento militar
Exército forma como sargentos 47 esportistas que trocaram uniformes por fardas e curso de sobrevivência na selva

POR DIEGO BARRETO
Rio – Fardas no lugar de uniformes, aulas de tiro, sobrevivência na selva e primeiros socorros. Acostumados a quebrar recordes nas quadras, pistas e piscinas, 47 atletas brasileiros superaram desafios pra lá de inusitados nas últimas três semanas. Para se tornarem sargentos do Exército e integrarem a delegação que representará o Brasil nos 5º Jogos Mundiais Militares — a serem disputados no Rio, em 2011 — participaram de três semanas de treinamento pesado.


Corredora Bárbara Leôncio com o pai, Celso Leôncio, no dia da formatura no Exército, na fortaleza de São João | Foto: Paulo Araújo / Agência O Dia

Realizado na Fortaleza de São João, na Urca, e na Academia Militar das Agulhas Negras (Aman), em Resende, o treinamento motivou tanto que alguns já pensam em seguir carreira militar. Caso da corredora carioca Bárbara Leôncio, 18 anos, medalha de ouro no Mundial juvenil de atletismo em 2007, que, na formatura do grupo, ontem, não conteve a emoção.
“O mais difícil no estágio foi a marcha de 8km no meio da mata, lá na Aman, mas valeu a pena. Eu estou muito feliz, quero seguir a carreira militar. Pretendo cursar uma faculdade para prestar prova para oficial”, disse, enquanto recebia do pai, Celso Leôncio, 41, sua boina verde. “Ela está realizando o sonho que eu não pude seguir, a carreira militar”.
As aulas de tiro despertaram a curiosidade do nadador Kaio Márcio, 25, duas medalhas de ouro no Pan 2007: “Foi uma experiência diferente, uma rotina a que não estamos acostumados. Foi enriquecedor”.
Os ‘sargentos atletas’ formados ontem se unem a outros 73 que integram as Forças Armadas desde 2009. Eles têm rotina diferenciada de outros militares, comparecendo aos quartéis só durante atividades específicas e competições. Permanecem integrados às Forças Armadas por sete anos, com salário de R$ 2,5 mil. Nesse período, disputam competições militares e convencionais.

 
Skip to content