Escolha uma Página
Onze pessoas foram presas suspeitas de garimpagem ilegal nas terras indígenas ianomâmi por homens do exército,neste último domingo (16), à tarde. Com os acusados foram encontrados ouro, armas e munições. Os garimpeiros estavam em três balsas no rio Couto Magalhães, próximo à fronteira com a Venezuela.
As 11 pessoas foram encontradas pelo exército que fazia uma patrulha de rotina na terra indígena. Eles foram trazidos para Boa Vista e interrogados pela Polícia Federal (PF). Dos garimpeiros presos, três eram mulheres que trabalhavam como cozinheiras. Elas foram liberadas pela PF.
– Eles (garimpeiros) mudam a balsa de lugar. Elas ficam atreladas aos barquinhos que são chamadas de voadeiras. Depois de certo tempo em um local, as voadeiras são deslocadas para outro lugar, onde há acampamentos de apoio -, relata o delegado da PF de crimes ambientais, Fabrizio Garbi.
Os oito homens foram encaminhados à Penitenciária Agrícola e vão responder pelos crimes: ambiental que é a prática de garimpo e formação de quadrilha.
Skip to content