Escolha uma Página

Por “ordem superior”, militares paraguaios, brasileiros e argentinos que deveriam abrilhantar, na manhã de ontem (14), o desfile alusivo aos 199 anos da Independência do Paraguai, foram impedidos de participar da celebração realizada na Avenida Bernardino Caballero.
De acordo com a imprensa de Ciudad del Este (Foto: Última Hora), os motivos para a ausência dos militares são pouco claros. No caso dos paraguaios, “atividades internas”, anunciadas apenas no dia anterior, impediriam a saída dos quartéis, enquanto que, no caso dos estrangeiros, o problema seria a falta de autorização parlamentar.
Vale ressaltar, no entanto, que a participação conjunta de militares de Paraguai, Brasil e Argentina é uma das características mais marcantes dos desfiles cívicos de Ciudad del Este, Foz do Iguaçu e Puerto Iguazú, sendo que, nos anos anteriores, a passagem das tropas ocorrera sem maiores inconvenientes.
No próximo dia 25, será a vez da Argentina celebrar sua independência, gerando suspense sobre a participação de militares paraguaios na parada cívica de Puerto Iguazú. O mesmo ocorre, também, em relação ao 07/09 em Foz do Iguaçu.
No meio político, uma das possíveis explicações para a ausência dos militares, ventilada por autoridades como a prefeita Sandra McLeod, seriam represálias à prefeitura local por conta das críticas efetuadas durante a última visita de Fernando Lugo (presidente e comandante das Forças Armadas) à fronteira.
Mesmo sem os militares, o desfile cívico-estudantil-policial contou com a presença de cerca de 60 instituições e reuniu cerca de 15 mil pessoas em torno do antigo aeroporto Alejo García, em efervescente demonstração de patriotismo que, por aqui, é vista apenas em épocas de Copa do Mundo.
Skip to content