Escolha uma Página
De Brasília – Vinícius Tavares
O ministro da Defesa, Nelson Jobim, que participa de audiência pública na Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional da Câmara, criticou duramente o terceiro Plano Nacional de Direitos Humanos, que prevê que as denúncias de tortura e mortes provocadas durante a Ditadura Militar entre 1964 e 1985 serão investigadas pela Comissão Nacional da Verdade, a ser criada pelo plano.
“O Ministério da Defesa e as Forças Armadas são contrários à investigação unilateral. O Plano Nacional extrapolou o conceito de direitos humanos”, declarou.
Jobim informou que o projeto que cria essa comissão está sendo finalizado pelo grupo de trabalho responsável pela sua elaboração. “Se a comissão for criada da forma como o plano determinava originalmente, estaremos revendo a Lei da Anistia. Se o acordo foi bem feito ou mal feito, isso não está em discussão. A questão é que temos de olhar para a frente, não para trás”, argumentou Jobim.
Leia mais.
Skip to content