Escolha uma Página

MP apura desvio

Procuradora militar manda investigar venda ilegal de carros do Exército 

MAHOMED SAIGG

O Ministério Público Militar, em Brasília, instaurou procedimento para investigar as denúncias de desvio de peças e viaturas do Exército, retiradas de maneira clandestina de quartéis do Rio. A ordem partiu da procuradora-geral de Justiça Militar, Cláudia Márcia Ramalho Moreira, que já designou um procurador no estado para investigar o caso.
A orientação é para que os trabalhos se iniciem imediatamente, antes mesmo da conclusão do Inquérito Policial-Militar (IPM), instaurado para apurar as denúncias. A pressa seria para evitar que as provas do crime sejam desfeitas pelo grupo, que já teria lucrado mais de R$ 600 mil com a fraude. De acordo com o Ministério Público Militar, os envolvidos podem ser presos e até ser expulsos da Força.
Desde segunda-feira, O DIA vem mostrando que materiais que deveriam ficar guardados no Parque Regional de Manutenção da 1ª Região Militar, em Magalhães Bastos, têm sido desviados e vendidos em ferros-velhos do Rio.
Para ter acesso às unidades, os comerciantes envolvidos no esquema usavam o nome de oficiais de alta patente do Exército. Registros feitos pelos militares que ficavam de guarda na entrada dos quartéis indicam o nome de todos os envolvidos.
Durante um mês, equipe de O DIA esteve em vários ferros-velhos especializados na venda de materiais militares. Todos estavam lotados de peças e viaturas oficiais. Após a denúncia, a Delegacia de Roubos e Furtos de Automóveis (DRFA) interditou quatro depósitos. Num deles, todo o material desviado já havia sido retirado e levado de volta para o quartel.
Skip to content