Escolha uma Página

País já gastou R$ 414 milhões na missão de paz

var teste = “F”;
if (teste == “F”){

}else if (teste == “”){
}else{
var data_criacao = “09/12/2009”;
var data = “09/12/2009”;
var hora = “18h21min”;
if (data_criacao == data){

document.write(”

Atualizada às 18h21min”);

}else{

document.write(”

Atualizada em 09/12/2009 às 18h21min”);

}
}

O ministro da Defesa, Nelson Jobim, afirmou nesta quarta-feira que não há prazo para as tropas brasileiras deixarem a missão de paz da Organização das Nações Unidas (ONU) no Haiti. Segundo ele, a estratégia de saída do Brasil está “ligada à estratégia de construção do país [Haiti]”.
Jobim afirmou que não é possível definir uma data porque o fim da missão militar “depende do respaldo internacional” e ela está muito relacionada com a “construção e a manutenção da paz” naquele país.
– Muitos sustentam que o Brasil tem que se retirar do Haiti. O Ministério da Defesa e o governo sustentam que o Brasil tem que permanecer no Haiti, mesmo que isso represente um custo para o orçamento brasileiro – afirmou o ministro.
Até o momento, o Brasil já desembolsou cerca de R$ 704,5 milhões com as ações de paz no Haiti, desde 2004. Como há um reembolso da ONU pelo fato de se tratar de uma ação internacional, o custo orçamentário efetivo foi de aproximadamente R$ 415 milhões no período.
Em 2009, até o momento, foram destinados R$ 108 milhões (o maior valor anual), já incluídos os reembolsos. Os recursos são destinados à manutenção da tropa, a obras de engenharia e a ações sociais.

AGÊNCIA SENADO

Skip to content