Escolha uma Página

A manchete acima é minha. Segue a notícia de O Globo, com a manchete original. Comento depois.

Farsa

Ex-integrante das Forças Armadas é preso aplicando golpe do treinamento militar

O segurança Rafael Fernandes dos Santos, de 24 anos, foi preso por policiais do Grupo Armado de Repressão a Roubos e Assaltos (Garra) do Departamento de Investigações sobre o Crime Organizado (Deic) por manter um falso curso de treinamento militar em São Paulo. Ex-integrante das Forças Armadas, o acusado identificava-se como tenente e ministrava aulas de defesa pessoal e estratégia de combate. A prisão ocorreu na Freguesia do Ó, zona norte da capital. Duas pistolas e maconha foram apreendidas.
O segurança deixou as Forças Armadas em 2003, como recruta, onde serviu na cidade de Caçapava, no Vale do Paraíba, em São Paulo. Ele disse ter pedido baixa, mas o Exército rebate e diz que Santos foi expulso por indisciplina. Há quatro anos, resolveu montar a farsa. O acusado alegou que a idéia surgiu a partir de um contato com um oficial superior.
Segundo o acusado, um militar prometeu a reincorporação dele caso demonstrasse conhecimento treinando uma equipe. O grupo preparado também deveria se apresentar ao superior para efetivação na corporação. Dessa maneira, o indiciado passou a recrutar interessados. E até designou missões aos alunos. Uma delas era conseguir maconha e adquirir armas.
– Ele passava uma informação falsa para os alunos dele que ele tinha um contato no comando do Exército e quem passava no curso ia defender o Brasil lá no Haiti nas forças de paz – diz o delegado Osvaldo Nico Gonçalves. Leia mais.
Comento:
Eta manchetezinha  tendenciosa: “Ex-integrante das Forças Armadas é preso aplicando golpe…”. Ora bolas, ex-integrantes são todos os  milhões de brasileiros que já passaram pelo serviço militar e bota milhões nisso!
O picareta serviu por quatro meses, foi excluído por indisciplina a seis anos e a manchete o chama de ex-integrante. Embora tecnicamente, a expressão seja correta, é evidente a intenção de emporcalhar o nome das Forças Armadas.
Tem jornalista que, trinta anos depois, ainda está travando sua luta particular contra “os gorilas”. Alguém precisa avisá-los que isso não dá direito ao Bolsa Ditadura.
Skip to content