Escolha uma Página
O segurança Jefferson Luiz Lima Medeiros, um dos quatro seguranças suspeitos de espancar até a morte  um vendedor ambulante, num shopping de Cuiabá, no MT, apresentou-se ontem à polícia, alegando inocência.
Medeiros, juntamente com outros três seguranças – Ednaldo Rodrigues Belo, Valdenor Moraes e Jorge Dourado Nere – é acusado de homicídio triplamente qualificado e furto qualificado.
Os advogados de Jefferson alegam sua condição de oficial R/2 do Exército para que o segurança seja recolhido a uma unidade militar.
Aqui não!
O tenente-coronel Carlos Eduardo Ilha dos Santos,comandante do 44º Batalhão de Infantaria, de Cuiabá, apressou-se a negar a possibilidade que o acusado seja recolhido ao seu quartel ou qualquer outro do Exército, lembrando que esta prerrogativa é apenas dos militares de carreira, da ativa ou da reserva.
Quer apostar?
Quer apostar quanto que, alertada sobre a condição de ex-militar do segurança, a mídia vai passar a tratá-lo como “oficial do Exército” ou “oficial da reserva”?

Informações e imagens: Mídia News

Skip to content