Forças Armadas estão prontas para colaborar com nova Comissão de Mortos e Desaparecidos, diz Múcio

Presidente Lula entre o comandante do Exército, general Tomás Paiva (esquerda), e o ministro da Defesa, José Múcio, em cerimônia em frente ao QG da Força - (crédito: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

Colegiado havia sido extinto por Bolsonaro e foi recriado por Lula nesta quinta, com troca de integrantes. Comissão busca investigar crimes políticos cometidos na ditadura militar.
O ministro da Defesa, José Múcio, afirmou que as Forças Armadas estão prontas para colaborar na retomada da Comissão de Mortos e Desaparecidos da ditadura, recriada nesta quinta feira (4) pelo presidente Lula.

“Não foi uma surpresa para nós, já estávamos esperando e estamos prontos para colaborar na retomada dos trabalhos da comissão”, disse o ministro.

Segundo ele, a volta da comissão é uma questão humanitária e o Ministério da Defesa se solidariza com os familiares que buscam informações e reparos pela morte e desaparecimento de seus entes.

A posição é compartilhada pelo Comando do Exército.

Por lá, o tema também é visto como uma questão humanitária para elucidar fatos que possam trazer paz e tranquilidade às famílias enlutadas há tanto tempo. A análise foi feita ao blog por um assessor do comandante Tomás Paiva.

A comissão havia sido extinta no governo Bolsonaro e sua recriação era defendida desde a posse do presidente Lula.

Agora, com o clima de harmonia entre o presidente e as Forças Armadas, Lula decidiu retomar os trabalhos.

60 anos do golpe: ditadura nasce no dia da mentira

Missão prevista na Constituição
A criação da Comissão foi uma determinação das disposições transitórias da Constituição de 1988 para esclarecer violações e responsabilizar o Estado brasileiro por crimes.

O objetivo principal é encontrar os restos mortais de desaparecidos, um pleito das famílias das vítimas que jamais viveram o luto pelas mortes.

A comissão também busca a reparação financeira às vítimas. A apuração das circunstâncias das mortes, no entanto, não resulta em responsabilização criminal em função da Lei da Anistia, de 1979.

Ativistas dos direitos humanos alegavam que o trabalho da comissão não foi concluído, uma vez que a busca por desaparecidos ainda continua.

Bolsonaro decidiu mudar a composição da comissão, nomeando aliados, em 2019, depois que órgão reconheceu que o estado brasileiro foi responsável pelo desaparecimento de Fernando Santa Cruz.

Na época, o presidente debochou do então presidente da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil), Felipe Santa Cruz.

g1

19 respostas

  1. Tomás Paiva já está com alista pronta vai sobrar pra os coitados do pracinhas. A esquerda tá com sangue nos olhos os Generais de (verdade)tem que intervi nesse assunto.

    1. A cumpanherada e sua sanha por dinheiro,isso de Comissão eh só fachada para assaltar o erário público , eh tudo armaçāo dos vermelhinhos pra gerar assunto para a fábrica de mentiras – Istóricas- e empregar os vermelhinhos desempregados.EB fraco com generais medíocres,pobre EB de Caxias.

  2. Braço fraco, mãos que açoitam …
    Sucatei seu exército, tire deles o suprimento, o treinamento, mine sua moral colocando a frente comandantes medíocres. Faça isso sistematicamente e verá o que acontece. Tropa fraca, desmoralizada, sem comando. E por mais que eles façam, você não acreditará mais em nada.

  3. Aí “encontram” uma dúzia de “Vítimas” da tal ditadura e dão pra eles pensões de 10, 12 até 15 mil por mês pro resto da vida. gente que nunca nem sofreu uma revista da pm na rua mas alegam que parentes foram “torturados” no regime militar…depois na hora do relatório do TCU, enchem a boca pra dizer que boa parte do Recurso do ministério da defesa Vai Pras “pensões” pra no fim dessa lorota Alegarem pro publico que o problema do rombo nas contas, é a “aposentadoria” do milico- que tirou serviço no quartel por 30 e tantos anos. É a velha tatica pra se ajeitar os apaniguados Como fizeram da da outra vez Com a comissao da inverdade. Bando de fdp…

  4. Será que o Sr Mucio não gostaria que colaborar colaborar entre outras palavras lutar por uma reposição salarial que já faz nais de seis anos sem nada só desconto e inflação corroendo o que já é pouco…

  5. Essa é a destruição completa das forças armadas agora o exército acabou de vez, a esquerda conseguiu seu objetivo de colocar esses Comandantes de joelhos. Faz o L agora

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pular para o conteúdo