Delação de Mauro Cid ainda corre risco de ser anulada

VOLTA À PRISÃO - Cid: condenação de dois anos evitaria “morte” militar (Evaristo Sá/AFP)

 

Garantia final de que a tratativa seguirá válida só vai ser dada no fim das investigações


Bela Megale
O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes manteve a validade da delação premiada de Mauro Cid na decisão em que determinou a soltura do ex-ajudante de ordens de Jair Bolsonaro. Ainda há, porém, chances de o acordo ser rescindido.

A garantia final de que a tratativa seguirá válida, mantendo os benefícios negociados, só vai ser dada no fim das investigações, em junho. No relatório final que envolve os casos do ex-presidente Jair Bolsonaro, a Polícia Federal se manifestará sobre a efetividade do acordo, ou seja, vai informar se Cid cumpriu suas obrigações como colaborador. A partir disso, Moraes baterá o martelo sobre a validade da tratativa.

O posicionamento da PF sobre o tema constará no relatório que apura a tentativa de golpe de Estado envolvendo Bolsonaro. O documento deve ser apresentado no mês que vem ao STF.

Em 2017, plenário da corte decidiu que os acordos de delação podem ser anulados ao fim da processos, caso o colaborador não tenha cumprido seus deveres ou haja vícios na negociação. A decisão foi dada no âmbito da delação da JBS.

Mauro Cid voltou para a prisão em março, após a revista “Veja” divulgar áudios nos quais ele criticou o ministro Alexandre de Moraes e a forma como a PF conduziu sua delação. Intimado no Supremo a prestar explicações, Cid disse que não houve coação da parte da PF, confirmou o teor da sua colaboração premiada e explicou que fez aquelas declarações como um “desabafo” e “uma forma de expressar”.

O GLOBO

2 respostas

  1. puro corporativismo como sempre foi, aos que esperam que seja anulada podem esperar sentados, advogados já trataram tudo com o “deus” do supremo, além de ser solto, será promovido retroativamente e ainda receberá ainda os atrasados o que vai dar uma bolada!
    enquanto isso alguns dos presos injustamente, estão lá pagando os pecados que não cometeram!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pular para o conteúdo