Comandante da Aeronáutica fala em “troca” entre caças Gripen e o KC-390 com a Suécia

Aeronave F-39 Gripen e KC-390 Millennium na ALA 2 (Anápolis/GO) em 22 de outubro de 2021.


________________
Veja mais em:
www.fab.mil.br
www.facebook.com/aeronauticaoficial
www.twitter.com/fab_oficial
www.instagram.com/fab_oficial
www.youtube.com/user/portalfab

Brigadeiro Marcelo Kanitz Damasceno afirmou que a Força Aérea deverá ter um segundo lote do caça da Saab dentro do contrato atual, que permite até mais nove aeronaves. Contrapartida viria pelo cargueiro militar da Embraer

Ricardo Meier

A Força Aérea Brasileira (FAB) trabalha com a aquisição de um segundo lote de caças Saab Gripen dentro da margem do aditivo contratual atual, de até 25%, disse o Comandante da Aeronáutica, Tenente Brigadeiro do Ar Marcelo Kanitz Damasceno ao jornal O Globo.

O percentual equivale a mais nove jatos de combate já que a encomenda original é de 36 aviões. No total, a FAB passaria a ter 45 aeronaves Gripen E e F, designado no país como F-39.

O Brigadeiro Damasceno voltou a afirmar que acredita na compra de alguns aviões de transporte C-390 Milllennium pela Força Aérea da Suécia, que busca um substituto para seus C-130 Hercules.

Questionado se o cargueiro militar da Embraer seria uma moeda de troca, o comandante disse pensar que a Suécia precisa de uma aeronave assim. “Vários países já adquiriram o avião, principalmente da Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte), o que coloca nosso avião em uma vitrine importante”, explicou.

A Suécia inicialmente planejava adquirir alguns C-130J de segunda mão até o começo de 2023, mas abandonou a ideia na época em que as tratativas com o governo brasileiro se intensificaram.

O chefe da FAB também deixou no ar a possibilidade de aquisição de outra aeronave, mas sem detalhar do que se trata. A Saab, fabricante do Gripen, também tem em seu portfólio uma solução de alerta aéreo antecipado, GlobalEye, que é uma evolução da tecnologia utiizada nos E/R-99 brasileiros.

Por fim, Damasceno Kanitz confirmou que estão ocorrendo estudos para a aquisição de uma nova aeronave presidencial. A tendência é que a Força Aérea busque um terceiro Airbus A330-200 de segunda mão, possivelmente já com uma configuração VIP.

AIRWAY

3 respostas

  1. E também falou sobre um possível desenvolvimento e fabricação de um motor a Jato nacional com total apoio do presidente Lula, que é um entusiasta e grande apoiador nesse projeto estratégico nacional (mais esse).

    1. Equipamentos modernos são necessários, porém operados por militares desvalorizados, Desmotivados e mal pagos não Servirão pra absolutamente nada!!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pular para o conteúdo