A ausência de Janja em eventos militares

Janja e Lula

Primeira-dama foi uma das principais vozes ao redor do presidente a tentar afastar os militares


MARCELA MATTOS

Desde o início do ano, o presidente Lula participou de quatro eventos relacionados às Forças Armadas. No dia 18 de janeiro, ele foi à Bahia participar da assinatura de um acordo sobre o Parque Tecnológico Aeroespacial. No dia seguinte, no Recife e em Fortaleza, participou de evento do Comando Militar do Nordeste, da inauguração de uma escola de sargentos e ainda esteve no lançamento do campus do ITA, o Instituto Tecnológico da Aeronáutica.

A presença do presidente nas cerimônias foi recebida como um gesto de pacificação, após o primeiro ano de mandato ser marcado pelo distanciamento e pela desconfiança com os fardados. Durante o giro, o presidente fez questão de enaltecer o trabalho dos militares.

“Sei da vocação e da capacidade de luta dos nossos ambientalistas, sei de tudo isso. Mas o que a gente tem que fazer é agradecer alguma coisa. Se não fosse o Exército ter essa área, ainda teria alguma árvore aqui? Ou seria tudo transformado em favela e ocupação desordenada?”, afirmou durante evento no Recife. O local da construção da escola é contestado por ambientalistas justamente em decorrência da destruição de árvores.

Apesar do aceno do presidente, uma ausência, segundo militares e governistas, chamou a atenção. A primeira-dama Janja, que costuma seguir o presidente nas viagens nacionais e internacionais, além de acompanhar reuniões oficiais, não foi a nenhum dos eventos. Não foi à toa, dizem.

Distância regulamentar
Como é sabido, a primeira-dama foi uma das principais vozes ao redor do presidente a tentar afastar os militares do entorno dela e do marido tão logo ele venceu a eleição. Janja quis impedir, por exemplo, que Lula viajasse em um voo pilotado por militares – o que seria impossível, visto que as aeronaves oficiais são todas da Força Aérea Brasileira.

Ela conseguiu, por outro lado, barrar que a sua segurança pessoal fosse feita pelo Gabinete de Segurança Institucional (GSI), formado também pelos fardados. Dessa maneira, enquanto o presidente recebe a proteção dos militares, a primeira-dama fica protegida por agentes da Polícia Federal.

Também coube a Janja aconselhar o presidente Lula a não aceitar o acionamento de uma ação de Garantia da Lei e da Ordem (GLO) no 8 de janeiro, o que levaria os militares às ruas. Conforme o presidente disse em entrevista à GloboNews, a primeira-dama teria comentado que a medida seria “tudo o que eles” queriam, que era justamente “tomar o governo”.

Por essas e por outras, nada indica que a primeira-dama comparecerá aos próximos eventos das Forças Armadas.

veja

6 respostas

  1. Janja ta mais que certa.
    Militar do exercito é so powpow
    Nunca abordou ngm
    Nunca algemou ngm.
    So trocou tiro no estande de papel, 25m e o papel nao reagia. Vivem num mundo encantado, não tem a menor ideia do comportamento humano. Foram adestrados desde a adolescência em um mundo de bob.

    Sabe de formatura e cerimonial, mas não tem a menor ideia do que é atitude suspeita, alias nem sabe como se comporta cada tipo de criminoso ou mesmo quais sao os crimes da legislação.

    Se voce pudesse ser protegido de bandidos pela PF ou pelo EB, qual escolheria?

    Um “quid preto” das formaturas ou um DOE que ja matou 10 em enfrentamento (tudo registrado em inquérito, como a lei manda, nada a esconder, nenhuma fábula ou causo que ngm viu)

      1. Então não tem que estar no gsi também, onde as ameaças não são uma coluna de blindados do país fictício vermelho, nem o maior desafio é manter a faxina da guarda.
        Gsi lida com ameaças que no geral representam crimes (terrorismo, homicidio, etc).

        Pegue seu fuzil e volte para o treinamento. Amanha o general vem visitar seu tenente coronel, ele deve ter perdido o sono.

        É isso que fazemos.

        E por isso, Janja está certa.
        Põe alguém que ja trocou tiro, não um todo enfeitado com manicacas que nunca viu confronto.

    1. Brasil é um país que deve estudado. Aqui um larápio volta a ser presidente e amante vira primeira dama. Ah, e mais, um renegado e indisciplinado, que não serviu nem mesmo para ser militar, também virou presidente. Que mundo BIZARRO.

  2. A cuidadora do nove dedos dispensou militares do GSI por conta de seu viés ideológico de extrema esquerda, não por competência ou a falta dela nos militares. Complemento que tem agente de PF que nunca colocou a botinha cor de cáqui na lama, e vive de cafézinho feito por funcionário de firma terceirizada nas suas delegacias, pare de show com agente matador de 10 pessoas…..kkkkk

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pular para o conteúdo