Motim no Equador: Argentina, Bolívia e Colômbia oferecem ajuda militar

Militares equatorianos em patrulha


Mariana Andrade
Com a escalada da violência no Equador nos últimos dias — inflamada pela fuga do líder da maior facção do país, José Adolfo Macías Villamar, 44 anos, mais conhecido como Fito —, Argentina, Bolívia e Colômbia decidiram enviar suas respectivas forças de segurança para ajudar o governo equatoriano.

Em nota, o Ministério das Relações Exteriores da Argentina manifestou o “mais forte apoio” às autoridades e ao povo do equatoriano na “luta contra as ações do crime organizado que procura minar o Estado de direito”.

Temendo uma expansão da onda de violência no continente, a ministra da Segurança, Patricia Bullrich, ofereceu enviar as forças armadas do país para ajudar o governo equatoriano. A declaração foi concedida em uma entrevista ao canal TN.

Confira vídeo do motim:

O presidente da Bolívia, Luis Arce, afirmou que o governo repudia os atos de violência ocorridos em território equatoriano. Além disso, reforçou que está disposto a trazer a tranquilidade de volta às ruas do Equador.

“Expressamos nossa total solidariedade ao povo e ao governo equatoriano, que atravessa uma situação crítica de segurança e de luta contra o crime. Expressamos nossa disposição de apoiar para que a tranquilidade retorne às ruas do Equador”, escreveu Arce no X (antigo Twitter).

Outro governante que ofereceu apoio foi o presidente colombiano, Gustavo Petro. Nas redes sociais, Petro disse que segue atento às atualizações sobre a situação no país vizinho.

Violência no Equador
O país vive uma das piores crises de segurança dos últimos anos. O caso se agravou após a fuga de um dos maiores criminosos do país, José Adolfo Macías Villamar, mais conhecido como Fito.

O presidente equatoriano, Daniel Noboa, decretou estado de “conflito armado interno” no país e passou a classificar as facções criminosas como grupos terroristas.

METRÓPOLES

6 respostas

  1. Aqui no Brasil os pracas tinha que fazer motim contra esses oficiais covardes que reajustaram seus salarios e reduziram a dos pracas e pensionstas.

  2. Quanta baboseira do anônimo defendendo motim contra oficiais. Esse filme é antigo e em preto e branco, e o anônimo o reprisa agora em cores.
    Esse esse Sr “anônimo” não deve ser militar, e se o é… Deve ter tomado o chá do Daime.

  3. Praças veteranos disse:
    10 de janeiro de 2024 às 11:23

    Aqui no Brasil os pracas tinha que fazer motim contra esses oficiais covardes que reajustaram seus salarios e reduziram a dos pracas e pensionstas.

    esse comentário me chamou a atenção por ser extremamente capcioso com intenção maliciosa de confundir e enganar os reservistas, utilizando de astúcia, sedução e esperteza.

    primeiro eu pergunto, quem promoveu os Reservistas a veteranos?
    respondo, foram os mesmo que planejaram o fracassado 8 de janeiro 2023.
    será que esse comentário Advêm das mentes brilhantes da Inteligência com o intuito de induzir os desavisados ao erro?!
    as baionetas são de fato mais fortes, portanto, o caminha a percorrer para corrigir injustiças é estreito e Demanda Resiliência, para isso deve exercer seu direito a cidadania Através do voto utilizando o direito a liberdade de expressão com sabedoria(Sarcástico, Irônico) sem ataques Pessoais as autoridades, fazendo politica por meios legais e acima de tudo lutando por direitos de forma Pacífica com dignidade, Decência e ordem.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pular para o conteúdo