8 de janeiro: mesmo com decreto de GLO, Exército nunca esteve pronto para golpe, dizem generais

Invasão Planalto

Oficiais afirmaram à CNN ainda que, se os militares tivessem sido convocados na ocasião, teriam atuado dentro da legalidade e não “para derrubar o governo”

Jussara Soares da CNN

Brasília – Às vésperas do primeiro aniversário do 8 de janeiro, integrantes da cúpula do Exército rechaçam a avaliação de autoridades de que um decreto de Garantia da Lei e da Ordem (GLO) após os ataques criminosos poderia ter aberto caminho para uma escalada golpista.

Oficiais militares disseram à CNN, em caráter reservado, que “o Exército nunca esteve pronto para um golpe”, mesmo que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) tivesse optado por uma GLO.

A tese golpista era amplamente divulgada por apoiadores do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) que pediam uma intervenção militar com o objetivo de tentar impedir posse de Lula.

Generais afirmaram à CNN ainda que, se os militares tivessem sido convocados na ocasião, teriam atuado dentro da legalidade e não “para derrubar o governo”.

A GLO é uma prerrogativa do presidente da República prevista na Constituição Brasileira e geralmente é aplicada quando um estado enfrenta uma crise na segurança pública e solicita assistência federal.

O Exército viveu uma crise de desconfiança por parte do Palácio do Planalto insuflada pela permanência do acampamento de apoiadores de Jair Bolsonaro na frente do Quartel General em Brasília, que serviram de abrigo para os invasores que mais tarde depredariam as sedes dos Três Poderes.

O grupo se instalou diante do QG logo após a derrota de Bolsonaro, mas não foi retirado. Militares alegam que a medida só poderia ter ocorrido com uma decisão judicial, o que não houve.

Em entrevista à série especial da CNN sobre o 8 de janeiro, o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG) avaliou como acertada a decisão de Lula não decretar uma GLO e optar por uma decisão intervenção apenas na segurança pública do Distrito Federal.

Para Pacheco, a decisão evitou a escalada do movimento antidemocrático.

“Acabou com o governo federal fazendo a intervenção na segurança pública do DF. Tomou a decisão correta dentro de limites para evitar que houvesse uma escalada que pudesse fortalecer esse movimento antidemocrático”, acrescentou.

CNN Brasil

6 respostas

  1. Tem muita mais coisa para a qual o Exército não está pronto e a primeira delas é a guerra.

    Mas para embuste e mamar Nas Tetas do erário público, estão realmente super prontos.

  2. Mas é claro que não.

    na Operação GLO, o Exército trabalha em harmonia com o Judiciário. Como aprendemos nas operações no RJ, nas operações de busca e apreensão usava-se o respectivo mandado judicial.

    Não sei de onde tiraram essa idéia que na GLO o Exército expede ordem de prisão sem avaliação da Justiça, só na cabeça dos MINIONS….

  3. O Bozonaro infectou as instituições militares no DNA, ainda bem que foi cirúrgica a decretação de intervenção federal no DF e apenas isso, pois a intenção do Bozo, dos seguidores e se alguns militares era que importasse a desordem e ativação de uma GLO e o golpe se instalaria. Lugar de golpista e na cadeia e não numa democracia.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pular para o conteúdo