É falso que Lula obrigou militares a cavarem buracos onde Bolsonaro teve mais votos

Castigo: Lula obriga militares a cavar buracos onde Bolsonaro recebeu mais de 85% dos votos válidos

Publicações com o conteúdo enganoso acumulavam 2,5 mil visualizações no Telegram e centenas de compartilhamentos no Facebook nesta terça-feira (2)

Marco Faustino

Não é verdade que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) obrigou militares do Exército a cavarem buracos em cidades onde o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) recebeu mais de 85% dos votos válidos nas eleições de 2022. As postagens desinformativas compartilham como se fosse verdade um texto satírico do site Portal Militar.

Um texto satírico afirmando que o presidente Lula determinou que militares quebrassem estradas em razão do apoio das Forças Armadas ao antigo governo tem circulado como se fosse real nas redes sociais. A peça original foi publicada no dia 24 de dezembro de 2023 pelo site Portal Militar, que diz se tratar de uma peça de “humor crítico”.

Em nota enviada ao Aos Fatos, o Exército negou que tenha havido a determinação e repudiou o texto enganoso. “Publicações falaciosas como essa apenas contribuem para a desinformação da nossa sociedade”, diz um trecho da nota.

Peça satírica. A matéria publicada pelo Portal Militar indica se tratar de uma sátira, mas postagens nas redes compartilham como se fosse uma notícia real.

Essa não é a primeira vez que um texto satírico do Portal Militar tem sido difundido como se fosse uma notícia verdadeira nas redes sociais. Em checagem anterior, Aos Fatos verificou que não há registros de que a ex-presidente Dilma Rousseff (PT), atualmente à frente NBD (Novo Banco de Desenvolvimento), assumirá o Ministério da Defesa do governo Lula (PT), substituindo o atual ministro José Múcio Monteiro.

AOS FATOS  – Edição: Montedo.com

3 respostas

  1. Enquanto existirem bozoides (“androides” maniqueístas) orquestrados pelo Bozo pairão mentiras e mais mentiras na rede, pois isto e a ração dos seus bovinos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pular para o conteúdo