RS: garimpeiros realizam manifestação e cobram vistoria do Exército

Crédito: O Alto Uruguai

Trabalhadores buscam a liberação de atividades nas minas Leonardo Toniazzo
Ametista do Sul (RS) – Os garimpeiros do município situado no noroeste gaúcho realizaram uma manifestação pacífica pedindo o retorno das atividades nas minas de pedras preciosas. O objetivo é cobrar por uma vistoria do Exército nas dependências da fábrica onde será produzida a pólvora para que as atividades sejam liberadas.
A mobilização iniciou às 8h30min desta quarta-feira, 15, e concentrou-se na praça central da cidade. Conforme informações, já foram atendidas todas as exigências. O comando da 3ª Região Militar emitiu nota anunciando uma nova inspeção para a próxima sexta-feira, 17.
Segundo um dos líderes da comissão dos garimpeiros, Alberto Souza, conforme divulgado em GZH, as adequações solicitadas já foram realizadas, assim como o envio de todos os documentos. “Não estamos pedindo nada. Só queremos voltar a trabalhar, sustentar nossas famílias e comemorar esse fim de ano com dignidade. Muitos trabalhadores já estão passando necessidade”, destaca.
Conforme o presidente da Cooperativa de Garimpeiros de Médio e Alto Uruguai (Coogamai), Nilvo Antonio Zatti, o Exército informou à cooperativa que tem o prazo de 30 a 90 dias para analisar e marcar a vistoria das instalações. A Coogamai informou que o protocolo da documentação exigida pelo Exército para a retomada das atividades foi finalizado no dia 30 de outubro.
Segundo a cooperativa, 1,3 mil garimpeiros estão sem trabalhar desde 25 de julho, quando a operação prendeu 15 pessoas e suspendeu as atividades em mais de 150 garimpos irregulares de Ametista do Sul e região depois que os órgãos identificaram a fabricação e o uso indevido de explosivos nas minas.

Nota do Exército

“Em 07/11, a Diretoria de Fiscalização de Produtos Controlados (DFPC), em Brasília, recebeu os Srs Luciano Orsi (Prefeito de Campo Bom), Dep Fed Pompeo de Mattos, Gilmar Sossella (Secretário de Trabalho e Desenvolvimento Profissional-RS) e Fábio Marçal (Assessor de Imprensa do Governo do Estado-RS), para tratar da legalização do processo de manuseio de pólvora pela Cooperativa (Googamai).
Na oportunidade, foi esclarecido que os documentos apresentados pela Cooperativa estavam incompletos e foram indicados todos os pontos necessários para correção do processo.
A DFPC se comprometeu a dar máxima celeridade ao processo, a partir da solução das pendências pela cooperativa.
As providências foram tomadas e no dia de ontem (14/11) a DFPC encaminhou a documentação para que o Comando da 3ª Região Militar (3ª RM) programasse uma nova inspeção em Ametista do Sul.
Amanhã (16/11), uma equipe do Serviço de Fiscalização de Produtos Controlados (SFPC) da 3ª RM partirá para Ametista do Sul a fim de realizar a vistoria, agendada para a manhã de sexta-feira (17/11).
Considerando que todas as providências tenham sido tomadas, o Termo de Vistoria seguirá para DFPC na próxima segunda-feira (20/11).
Dessa forma, é possível que o Título de Registro (TR), documento que autoriza a pessoa jurídica à fabricação de Produtos Controlados pelo Exército (PCE), seja entregue em breve, permitindo aos trabalhadores o retorno às atividades.”

O Alto Uruguai com GZH/edição: Montedo.com

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pular para o conteúdo