O que o México ensina sobre o uso das Forças Armadas no combate ao narcotráfico

Integrantes das Forças Armadas do México participam da destruição de drogas, em Acapulco, Guerrero, no México, 20 Set 2018. Foram queimadas 4,7 toneladas de cocaína, 468 quilos de maconha e 54 pílulas psicoativas apreendidas nos Estados de Guerrero e Morelos. (EFE News Agency/Alamy Live News)

Governo brasileiro criou um factoide que não resolve no longo prazo o descontrole da criminalidade; não estamos sozinhos nesse improviso

DIOGO SCHELP

Trata-se de uma medida para brasileiro ver. Ao anunciar a missão de Garantia de Lei e da Ordem (GLO) para conferir poder de polícia às Forças Armadas em portos e aeroportos do Rio de Janeiro e de São Paulo, o governo criou um factoide que não resolve no longo prazo o descontrole da criminalidade. E arrisca-se a gerar novos problemas ao atribuir aos militares funções para as quais não possuem treinamento adequado. Afinal, a doutrina do Exército para as GLOs decretadas desde 2010 é uma adaptação das doutrinas de contrainsurgência, herança da ditadura militar, e de operações de paz.

Não estamos sozinhos nesse improviso. O uso das Forças Armadas no combate a organizações criminosas é uma tendência em toda a América Latina. No caso brasileiro, a atuação costuma ficar restrita a coibir o tráfico de drogas e armas nas fronteiras, ao patrulhamento do espaço público e, em situações pontuais, à conquista territorial das mãos das facções. Em outros países, como o México, os militares assumiram um espectro bem mais amplo de atribuições tipicamente policiais. A GLO para os portos e aeroportos é um passo nessa direção.

Mas o México é justamente um exemplo do que não fazer. Desde 2006, sucessivos governos vêm jogando no colo dos militares a missão de combater o narcotráfico. O resultado é trágico. Os cartéis mexicanos continuam lucrando e barbarizando. A taxa de homicídios disparou de quase 10 para mais de 28 por 100.000 habitantes. As forças armadas passaram a conviver com escândalos de abuso de poder contra a população e de corrupção. As autoridades dos Estados Unidos chegaram a prender um general mexicano, ex-ministro da Defesa, por suspeita de lavagem de dinheiro e narcotráfico. Em fevereiro deste ano, um ex-secretário de Segurança Pública do México foi condenado pela Justiça americana por envolvimento com os cartéis. Também vieram à tona indícios de que cidadãos mexicanos foram espionados ilegalmente pelos militares.

O atual presidente mexicano, o esquerdista Andrés Manuel Lopez Obrador, foi eleito com a promessa de enviar os militares de volta aos quarteis, mas está fazendo o oposto. A influência das forças armadas na segurança pública aumentou, apesar de decisões judiciais contrárias. Uma das novidades consistiu em colocar os fardados para controlar portos, aeroportos e sistema alfandegário. Não tem como dar certo.

ESTADÃO

5 respostas

  1. Então porque vcs não resolvem já que possuem a lâmpada de Aladin, se tiver uma guerra chamaremos Israel já que nosso exército não tem experiência

  2. E se as FFAA consultarem o Nayib Bukele? Será que dá certo aqui? Entre medidas de segurança há também medidas de reformas administrativas. É só aplicar!

  3. Concordo completamente com o texto. Desde o ano de 1992 do século passado, os sucessivos governoa federaia utiliza das FFAA como paliativo nas ações contra o crime organizado, principalmente, no Hell de janeiro. mesmo com a Fraca, digo: força nacional, as sucessivas administrações federais jogam esse imbrólio da segurança pública (encargo da Força Nacional, Policia federal, policiais civis, policias Militares e guardas municipais) no colo das fFAA.

    1. É fácil usar os miseráveis dos praças como mão de obra Quase Escrava para enxugar gelo!!!

      Coloca o Pracinha na 24h/24h ganhando menos de R$ 50,00 de diária…é mole…

      Essa @#&% é do aspira….digo…da PF, PRF, RFB…

  4. Dizia um amigo meu,Sr já de idade, que ninguém acaba com tráfego, de Drogas, trafico de Armas e prostituição no Mundo, será que é Verdade? e se olharmos a américa do Sul , Paraguai, Colômbia, Peru, Bolivia, e Vc tira suas conclusões. Vamos enxugar gelo. e o praça coitado mal remunerado, fazendo Papel de Policia, Triste Não,.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pular para o conteúdo