Como Dino convenceu Lula a assinar GLO e destacar militares

LULA e FLÁVIO DINO

Inicialmente, Lula refutava Garantia da Lei e da Ordem (GLO) para reforçar papel de militares na segurança pública. Flávio Dino o convenceu
Paulo Cappelli
Inicialmente, Lula não queria assinar decreto para estabelecer uma Garantia da Lei e da Ordem (GLO) e, dessa forma, reforçar o papel de militares na segurança pública. O presidente dizia que não colocaria homens do Exército nas ruas e nas favelas.

Temia que confrontos entre militares e civis respingassem no governo federal.

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Flávio Dino, então, fez a ponderação que mudou a opinião de Lula sobre a GLO. Disse que a medida poderia ser segmentada, sem necessidade de implementação em todo o território do estado em que fosse implementada.

Lula não sabia disso. E, quando soube, concordou com o reforço militar em portos, aeroportos e fronteiras, pois já compete à União fiscalizar essas áreas.

Os militares atuarão nos aeroportos de Guarulhos e do Galeão e nos portos de Santos e Itaguaí. Já Paraná, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul terão a presença das Forças Armadas reforçadas nas fronteiras.

Ao todo, 3,7 mil homens do Exército, Marinha e Aeronáutico serão empregados na GLO.

METRÓPOLES

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pular para o conteúdo