Vídeo: coronel do Exército reage e atira em homem durante briga por vaga de estacionamento no DF

Coronel do Exército dispara contra homem em briga de trânsito no DF

O coronel do Exército atirou contra um homem após os dois brigarem por uma vaga em um estacionamento de Taguatinga
Samara Schwingel
Câmeras de segurança gravaram o momento em que um coronel do Exército e outro homem brigam por uma vaga de estacionamento público, em Taguatinga. A filmagem mostra que o oficial atirou três vezes contra o outro cidadão, após ser agredido com diversos socos.

Início da briga
A briga ocorreu na CNA 4, em frente à Praça do DI, por volta das 13h. De acordo com o boletim de ocorrência, registrado na 12ª Delegacia de Polícia (Taguatinga Centro), o coronel do Exército, identificado como Jorge Toledo Freitas, 62 anos, contou à polícia que o homem teria o abordado e pedido que ele retirasse o carro da vaga em que havia acabado de estacionar.

Jorge diz ter chegado ao local por volta de 12h40 para almoçar com a filha de 9 anos. Ele estacionou em uma vaga que havia sido liberada e desceu do carro com a criança.

Em seguida, segundo ele, um carro encostou, e o motorista pediu que ele tirasse o veículo da vaga. Jorge diz que explicou ao homem que não tinha visto ninguém esperando pela vaga e, por isso, havia estacionado. Ele se recusou a retirar o automóvel do local.

Após a negativa, segundo o militar, o motorista começou a ameaçá-lo dizendo que iria matá-lo. O homem ainda teria xingado o coronel de “bandido e merda” e “ameaçou dizendo que iria quebrar o carro todo, cortar os pneus e que o mataria”.

Coronel reagiu
Com a ameaça, Jorge confessou que voltou ao carro, pegou a arma e mostrou para o motorista, dizendo “Olha aqui, você não vai me matar”.

Após mostrar a arma, Jorge teria guardado a arma no carro. À Polícia Civil o militar afirmou que o homem era “enorme” e media muito mais que ele, que tem 1,75m. Com medo, o coronel retornou ao veículo e colocou a arma na cintura. Então, voltou ao restaurante com a filha. Depois de uns 15 minutos, ele e a menina voltaram ao local.

Quando chegaram, o homem que havia ameaçado o coronel estaria trancando o veículo dele com o próprio carro. A partir de então, iniciaram-se as agressões. Alterado, o homem desferiu diversos socos e murros na cabeça do militar.

Segundo Jorge, quando estava quase caindo por causa das agressões, conseguiu sacar a arma e realizou três disparos contra o homem, mirando as pernas do alvo. Após derrubá-lo, o coronel afirma que guardou a arma e acionou o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu).

O homem que atingido pelos disparos foi levado ao Hospital Regional de Taguatinga (HRT) e está estável.

METRÓPOLES

36 respostas

  1. Moral da história, segundo a reportagem, houve uma ameaça anterior com arma, logo após o entrevero e logo após isso houve os disparos, por alegada legitima defesa, não existe defesa pré-ordenada, ou seja, aquele que deu causa ao fato de forma ilegitima. Uma observação, esse Coronel deve contribuir com 1,5%, já que foi pai velho (53 anos). Exemplo de filha que já nasceu com a benesse, Tirem logo a autorização para portar a arma desse senhor logo, a fim de se evitar um mal maior.

    1. Pedir para vc deixar de ser idiota é redundância que nunca acontecerá. Só tem vaga cativa àqueles que a Lei atribui. Além disso o cara ficou espreitando umas horas até o final do almoço do Cel para peitar e socar, se possível, até a morte. O elemento que defende meliantes só pode estar ao lado do crime. Abra o olho com suas falhas e erros pois o tribunal do crime faz justiçamento como os guerrilheiros que tentaram implantar o regime Maoista aqui.

      1. Você leu a reportagem? Não. Você se deu ao trabalho de ler o que escrevi ou entendeu? não, então nem é possível debater. Portanto, fique com seu escrito agressivo para ti.

    2. … então no lugar dele vc apanharia até a morte?? Ou iria p casa de Uber q evitar o confronto??? Sei não…. cada pode ter uma visão do fato. Bom fds a todos

      1. Primeiro pediria desculpas, pois iria alegar que não o vi esperando pela vaga, retiraria meu carro e procuraria outra, claro se o cara tava esperando alguém sair é o direito dele a vaga. Segundo, não iria ate o carro para mostrar que estava armado, pois isso é uma ameaça e apesar de não dar direito ao revide o cara se sentiria no direito de me agredir após deixar a arma no carro. Por fim, arma não é para ficar ostentando ou mostrando seu poderio, apenas é para situações pontuais de perigo e legitima defesa de si, da sua família ou de outrem, no mais é para ficar escondida ou guardada se for fazer M…..

        1. Australopithecus, fica ‘tiste’ não
          pai Chão De 🏭 mandou promover os Jurunas a capitão com “CHACAL” e com vencimentos de almirante.
          Confia

    3. Nao foi preordenada irmao.
      Ele apanhou no segundo momento e usou do meio necessario.
      Legitima defesa evidente

      Sim, cortem a pensao da filha, a ativa precisa de espaco no orcamento para aumento, a filha deve trabalhar Como a filha de todo mortal

      1. já penso diferente, vc e sua filha trabalhem a fim de recolherem imposto de renda.
        para pagar futuramente o salário de minha filha.
        não gostou, lamento.

    4. Australopithecus, você deve ser um esquerdopata consumidor de clichês de orelhas de livros ou mesmo carente das faculdades mentais.

      Suas análises são sempre incoerentes.

      Olha só o besteirol que escreveu nesse comentário aí.

      Bem disse Umberto Eco: a internet deu espaço para imbecilidades.

    5. Você é ridículo. Não usarei outras palavras para não ser censurado. Queria ver se fosse você sendo espancado na frente de tua filha por um valentão, provavelmente Faria o “L”. Minha continência para este coronel, mandou o machão para o hospital. Agora vai aprender a respeitar os outros.

    6. Esse deve ser um recalcado , recebeu um CDI e não incorporou nas forças armadas por isso toda essa raiva contra militares, esse que levou os tiros teve sorte, era bom se fosse um PM ou Policial Civil que o brabão que bateu no Coronel ,estava na pedra do IML

    7. Cara vecê é especialista em falar asneiras. servi com esse militar quando ele era Capitão em Santa Cruz – RJ, ELE era um excelente militar e ser humano. Muito Educado e cordial, agora acho que vc não sabe mais a profissão e das aRMAS, logo que homologa vende e produção de armas não pode andar armado….

    8. Legitima defesa clara. O cel é Idoso, o outro era mais novo e mais forte, moral da história pelo vídeo nota-se claramente que o Cel somente usou a arma em legitima defesa, caso não o fizesse estaria morto dado a agressão desigual contra ele.

  2. Enquanto isso a grande mídia está calada com os esbulhos de propriedades na Amazônia. Só quando a enchente chegar é que vão noticiar.

    1. Diretamente em qualquer organização militar mediante requerimento na secretaria, sem custo. Levar sua certidão de serviço militar para comprovar o período de recruta. Não há obrigatoriedade de contratar advogado. No entanto, se você já requereu e teve o pedido negado pela administração militar devido a prescrição, novo pedido somente mediante advogado constituído e na esfera judicial.

    2. Jaimex, procure um advogado não adianta procurar informação aqui de graça, tudo de graça tem suas consequências.

  3. Isso é saber usar o armamento. O coronel é muito preparado e sangue frio. Conduziu a situação até ficar bem caracterizado que o que faria depois caracterizaria legítima defesa sem nenhuma dúvida. No tempo certinho, arrancou a 9 e Chegou o “aço” no vagabundo e somente abaixo da linha da cintura. Eu pessoalmente mandaria uma “azeitona” nos “côco” do vagabundo meliante, no mais puro estilo “arranca saco”.

  4. O idoso não pode ser submetido a qualquer constrangimento, principalmente violento.

    LEI No 10.741, DE 1º DE OUTUBRO DE 2003.

    Art. 1º É instituído o Estatuto da Pessoa Idosa, destinado a regular os direitos assegurados às pessoas com idade igual ou superior a 60 (sessenta) anos.

    Art. 2º A pessoa idosa goza de todos os direitos fundamentais inerentes à pessoa humana, sem prejuízo da proteção integral de que trata esta Lei, assegurando-se-lhe, por lei ou por outros meios, todas as oportunidades e facilidades, para preservação de sua saúde física e mental e seu aperfeiçoamento moral, intelectual, espiritual e social, em condições de liberdade e dignidade.

    Art. 4º Nenhuma pessoa idosa será objeto de qualquer tipo de negligência, discriminação, violência, crueldade ou opressão, e todo atentado aos seus direitos, por ação ou omissão, será punido na forma da lei.

    § 1º É dever de todos prevenir a ameaça ou violação aos direitos da pessoa idosa.

    Art. 10. É obrigação do Estado e da sociedade assegurar à pessoa idosa a liberdade, o respeito e a dignidade, como pessoa humana e sujeito de direitos civis, políticos, individuais e sociais, garantidos na Constituição e nas leis.

    § 3º É dever de todos zelar pela dignidade da pessoa idosa, colocando-a a salvo de qualquer tratamento desumano, violento, aterrorizante, vexatório ou constrangedor.

  5. Mais um “machão armado” em ação.
    Agora, vamos ver se ele sustenta essa historinha de “engana militar infantil” na justiça por tentativa de homicídio.
    Acho engraçado que ele não pensou nem na filha e nem de chamar a polícia, mas como temos no nosso meio muitos simpatizantes de “machões armados”, ele encontra empatia nesse espaço.

  6. “Mais um “machão armado” em ação…” todo covarde esconde seu medo de portar arma debaixo do conversar amigavelmente, ligar 190, dar a vaga que era sua para o idiota valentão( sim, este é o veradeiro valentão, o agressor que agrediu um idoso na frente da filha), me diz uma coisa/ vc é casado? sua mulher tem orgulho de vc? se fosse ela revia meus conceitos, com certeza vc é o tipo de homem que fugiria e deixaria a mulher ou a filhinha apanhar, no mais, sem delongas e por experiencia propria, é legitima defesa, eu seria mais frio ainda, daria um no meio do côco, afinal morto não contradiz versão, vivo inventa tudo, eu nem esperaira o primeiro soco, só a menção de tomar um é motivo sim pra ele tomar um pipoco bem no meio do peito,e eu daria com toda a certeza do mundo, aliás daria não, já dei, legitima defesa, amém, o direito nu e cru me garantiu isso …fim.

    1. Parabéns, meu amigo, Você é muito “machão”, mais do que eu.
      Se alguém quiser me ganhar um conflito social na força, não irá lutar comigo. Não porque eu seja fraco (não sou, luto Jiu-jitsu desde os meus 7 anos), mas porque eu não sou convencido pela força física ou bélica. Se, por acaso, como no caso de força maior, ocorrer tal disputa comigo, o ganhador apenas mostrará que é mais forte, o que não me interessa.
      procuro sempre os caminhos institucionais e racionais para resolver os conflitos não resolvidos.
      Se eu usaria arma no meio social? Jamais, deixo esse Privilégio para machões como você.

  7. Reportagem Segundo Versão Prestada Po Atirador Junto Ao Orgão Policial:
    Início Da Briga
    A Briga Ocorreu Na CNA 4, Em Frente À Praça Do DI, Por Volta Das 13h. De Acordo Com O Boletim De Ocorrência, Registrado Na 12ª Delegacia De Polícia (Taguatinga Centro), O Coronel Do Exército, Identificado Como Jorge Toledo Freitas, 62 Anos, Contou À Polícia Que O Homem Teria O Abordado E Pedido Que Ele Retirasse O Carro Da Vaga Em Que Havia Acabado De Estacionar. Jorge Diz Ter Chegado Ao Local Por Volta De 12h40 Para Almoçar Com A Filha De 9 Anos. Ele Estacionou Em Uma Vaga Que Havia Sido Liberada E Desceu Do Carro Com A Criança. Em Seguida, Segundo Ele, Um Carro Encostou, E O Motorista Pediu Que Ele Tirasse O Veículo Da Vaga. Jorge Diz Que Explicou Ao Homem Que Não Tinha Visto Ninguém Esperando Pela Vaga E, Por Isso, Havia Estacionado. Ele Se Recusou A Retirar O Automóvel Do Local.
    Após A Negativa, Segundo O Militar, O Motorista Começou A Ameaçá-Lo Dizendo Que Iria Matá-Lo. O Homem Ainda Teria Xingado O Coronel De “Bandido E Merda” E “Ameaçou Dizendo Que Iria Quebrar O Carro Todo, Cortar Os Pneus E Que O Mataria”.

    Coronel Reagiu
    Com A Ameaça, Jorge Confessou Que Voltou Ao Carro, Pegou A Arma E Mostrou Para O Motorista, Dizendo “Olha Aqui, Você Não Vai Me Matar”.
    Após Mostrar A Arma, Jorge Teria Guardado A Arma No Carro. À Polícia Civil O Militar Afirmou Que O Homem Era “Enorme” E Media Muito Mais Que Ele, Que Tem 1,75m. Com Medo, O Coronel Retornou Ao Veículo E Colocou A Arma Na Cintura. Então, Voltou Ao Restaurante Com A Filha. Depois De Uns 15 Minutos, Ele E A Menina Voltaram Ao Local.
    Quando Chegaram, O Homem Que Havia Ameaçado O Coronel Estaria Trancando O Veículo Dele Com O Próprio Carro. A Partir De Então, Iniciaram-Se As Agressões. Alterado, O Homem Desferiu Diversos Socos E Murros Na Cabeça Do Militar.
    Segundo Jorge, Quando Estava Quase Caindo Por Causa Das Agressões, Conseguiu Sacar A Arma E Realizou Três Disparos Contra O Homem, Mirando As Pernas Do Alvo. Após Derrubá-Lo, O Coronel Afirma Que Guardou A Arma E Acionou O Serviço De Atendimento Móvel De Urgência (Samu).
    O Homem Que Atingido Pelos Disparos Foi Levado Ao Hospital Regional De Taguatinga (HRT) E Está Estável.
    Não sei se li direito, se não sei interpretar, se alguém tá certo ou alguém tá errado, mas irei tentar avaliar. A briga começou por conta de uma vaga, está em que o atirador colocou o carro e alegou que era uma vaga que havia sido liberada – alguém saiu e ele entrou – todavia o outro alegou que aguardava a saída para estacionar, então alguém deu uma de esperto. Depois houve uma discussão e o atirador foi ao carro pegar uma arma para mostrar que estava armado e fazer medo, pois até então havia uma ameaça verbal, no entanto ao invés de ficar armado, já que estava com medo retornou e colocou a arma no carro. Logo após, ao sair, mais um entrevero e agressões e daí o atirador resolve sacar sua arma e atirar. Pergunto: quem começou? Quem não cedeu? Quem estava errado? Se alguém resolvesse seguir o seu caminho e procurar outro shopping teria ocorrido o fato? Eu só sei que tenho autorização para portar arma, se fosse eu, não teria problema em pedir desculpas por estacionar na vaga de alguém que estava esperando e muito menos pegaria a arma para mostrar e coloca-la no local, isso demonstra que a ameaça não incutiu em nada no atirador. Cada um faz o que quiser e responda por tal, pois existem muito peitudas com armas por aí, ao final no Bang Bang outros que nada tem a ver sofrem pelo entrevero dos outros. Arma e para se proteger e a sua família ou a outro de que necessite, no entanto sente a uma injusta agressão e não uma discussão por vaga.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pular para o conteúdo