PGR espera mais de mil acordos com acampados no QG do Exército

Acampamento QG do Exército 2

Critérios para a adesão ao acordo preveem que os denunciados devem confessar os crimes, pagar multa, participar de curso sobre democracia, etc

A Procuradoria-Geral da República espera fechar mais de mil acordos com denunciados pelos atos de 8 de janeiro. A informação foi confirmada pelo subprocurador geral Carlos Frederico Santos à Veja.

Estão aptos a celebrar os chamados acordos de não persecução penal (ANPP) os acampados em frente ao QG do Exército que não se aproximaram do Palácio do Planalto, do Congresso e do STF naquele dia.

Os critérios para a adesão ao ANPP preveem que os réus devem confessar os crimes, realizar a prestação de serviços à comunidade, pagamento de multa, participação em curso sobre democracia, além de proibição de manter contas em redes sociais abertas.

Segundo a PGR, 301 pessoas manifestaram interesse em assinar o termo de um total de 1.125 denunciados por crimes com penas que não alcançam 4 anos de reclusão.

O Antagonista

3 respostas

  1. Enquanto é possível, sempre é bom negociar com o lado mais forte (Estado), enquanto este estiver oferendo a oportunidade.

  2. Quando não se tem provas do cometimento de um crime, o correto seria o Ministério Público não oferecer denúncia, mas em tempos de exceção a nova tônica é propor acordos para pessoas desesperadas e muitas presas injustamente. Cadê as provas, super Polícia Federal?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pular para o conteúdo