Roraima: família de garimpeiros mortos acusa militares. Exército nega

AMAZÔNIA

Exército nega confronto com garimpeiros encontrados mortos no Uraricoera
Militares foram acusados de serem autores das mortes pelos familiares das vítimas

Adriele Lima

Boa Vista – O Comando Conjunto Ágata Fronteira Norte negou envolvimento e confronto entre militares e garimpeiros no Rio Uraricoera, na região do Palimiú, em Alto Alegre. A resposta se deu após familiares acusarem que militares do Exército foram responsáveis pelas mortes do garimpeiro Flávio Luiz, 34 anos, e do adolescente identificado como David Lucas, 15 anos.

À FolhaBV, a assessoria de imprensa do Comando Conjunto Ágata Fronteira Norte informou que não houve nenhum confronto na data da última quinta-feira (21), assim como na região de Palimiú. Ainda reforçou que a atuação das Forças Armadas “são pautadas pelos princípios de legalidade e legitimidade”. (Nota completa ao final)

Apesar disso, a família ainda cobra respostas pelas mortes. Na manhã desta segunda (25), eles manifestaram em frente ao Ibama, com apoio do Movimento Garimpo é Legal, para pedir explicações sobre o ocorrido, onde entendem como um crime.

O caso
De acordo com um familiar de Flávio, que preferiu não se identificar, um canoeiro que estava com as vítimas, e foi liberado no momento da abordagem, teria presenciado os homicídios. Conforme o relato, quatro canoas seguiam pelo rio Uraricoera, no dia 21 de setembro, em direção a um garimpo, quando ao avistar o Exército, três canoas conseguiram retornar.

O barco em que Flávio e Lucas estavam, não teria conseguido fugir e foi abordado pelos militares. O piloto do barco teria levado um tiro de bala de borracha nas costas e os outros dois teriam sido brutalmente assassinados a tiros.

Após a execução, segundo o denunciante, os militares teriam amarrado os corpos no motor do barco e jogaram no fundo do rio.

Nota do Exército
Sobre os questionamentos recebidos, envolvendo os dois corpos encontrados no Rio Uraricoera, o Comando Conjunto Ágata Fronteira Norte informa que não houve confronto entre militares e garimpeiros com vítimas fatais na data e região mencionadas, e que a atuação das Forças Armadas são pautadas pelos princípios de legalidade e legitimidade.

FOLHA BV

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pular para o conteúdo