Investigado no caso das joias, tenente do Exército ex-assessor de Bolsonaro decide colaborar com a PF

subtenente crivelatti

Osmar Crivelatti prestou depoimento nesta quinta-feiraPatrik Camporez
Brasília – Ex-ajudante de ordens do então presidente Jair Bolsonaro (PL), o tenente do Exército Osmar Crivelatti também decidiu colaborar com a Polícia Federal. O militar é investigado no inquérito que apura um suposto esquema de venda de presentes dados ao Estado brasileiro durante missões oficiais no exterior. Crivelatti foi o penúltimo a deixar o prédio da PF nesta quinta-feira (31), após prestar depoimento.
O militar foi escolhido por Bolsonaro como um dos auxiliares pessoais a que tem direito como ex-presidente. Em 6 de junho de 2022, ele assinou a retirada de um Rolex do “acervo privado” para o gabinete dele. O relógio, avaliado em R$ 300 mil, foi doado pelo rei da Arábia Saudita, Salman bin Abdul-aziz em uma viagem oficial e teria sido negociado por Mauro Cid.
Nesta quinta-feira, o militar participou dos depoimentos simultâneos onde foram ouvidos o ex-presidente Jair Bolsonaro, a ex-primeira-dama Michelle e outras seis pessoas. Também foram interrogados o ex-chefe da Ajudância de Ordens de Bolsonaro, tenente-coronel Mauro Cid, o pai dele, general Mauro Cesar Lourena Cid, o advogado Frederick Wassef, o ex-secretário de Comunicação Fabio Wajngarten e o assessor Marcelo Costa Câmara.
Diferentemente do ex-presidente e da ex-primeira-dama Michelle Bolsonaro, que recorreram ao direito de ficar em silêncio, Crivelatti optou por responder às perguntas dos delegados. O ex-ajudante de ordens do ex-presidente Jair Bolsonaro, tenente-coronel Mauro Cid, e o pai dele, também decidiram por colaborar.
O Globo – Edição: Montedo.com

34 respostas

  1. O falso Messias vai pagar caro por ter abandonado e menosprezado os veteranos e suas pensionistas, que sempre estiveram ao lado dele. Ele escolheu privilegiar os oficiais generais, os mesmos que agora o abandonaram e pularam para o atual barco.

    1. A carreira marcada pelo foco, dedicação e especialização do tenente Osmar Crivelatti:
      – causa um tremendo mal-estar em indivíduos comuns.
      Compreensível, absolutamente coerente as sua passagens medíocres pelas FFAA.
      Realmente não é pra todos terem um currículo destes.
      Que obteve sucesso em cursos de admissão, extensão e Especialização.
      Assumiu funções e responsabilidades que poucos sustentariam.
      Militar de sucesso causa um tremendo desconforto:
      – principalmente por sua promoção ao QAO.
      Sim, este fato, em poucos, é uma baita derrota individual.
      Infames “Passageiros” pelas FFAA Absortos De Invídia.
      O Choro É Livre.

  2. Esse tenente não é aquele tipo de subtenente do exército que vai a oficial sem concurso, diferente da marinha e aeronáutica que faz concurso interno pra pouquíssimas vagas e que ainda concorrem juntos com os sargentos?

    1. O senhor não está querendo comparar o concurso de ingresso na carreira de sargentos do exército com o concurso de praças da marinha, né? Só pode estar de sacanagem. Pra ser sargento do Exército se concorre com amplo universo de concorrência (na maioria civis, com mais disponibilidade de estudo e preparo para o concurso). Na marinha se concorre com os colegas de Barril….

      É cada uma….

    2. Sim, mas de acordo com alguns personagens deste blog, na MB e FAB e mole, só tem jurunas e alunos de EAM fracos, mal sabem que há prova para SG e Sub e oficial AA.

      1. alguns ainda com “Altos Estudos”, numa guerra eles que decidem qual o efetivo, quais armas, quais estratégias a utilizar, as atividades logísticas, apoio aéreo, etc . Esses caras são bons demais, é só deixar com eles e a parada tá ganha.

  3. Conta tudo,Crivelatti .
    Não confia neles.
    Tu és praça, eles dão um jeito de te incriminar para livrar a cara deles. Eu já vi esse filme Crivelatti.
    Fala tudo e prova e deixa que eles se entendam.
    Se deixar eles coloca na sua conta.
    Confia

    1. Conheço essa cidadão. Junto com VB deixou seus companheiros a mercê. Apoiando a tal da racionalização de pessoal, que por final, apenas o EB fez. no dia a dia paga pelo que fez.

  4. Aos desatentos na leitura do título e mesmo do conteúdo completo da matéria percebam que o uso da expressão “Decide colaborar com a PF” foi colocada para dar a entender que ele confessou algo a respeito de uma suposta crime ou que delatou algo sobre o Bolsonaro.

    O Crivellati simplesmente não ficou calado e prestou o depoimento, mas não que dizer que o que disse tenha cunho de delação alguma. Mas é esse sentimento que os autores da matéria querem impingir ao leitor, o sentimento/impressão que houve uma delação.

  5. Para O Subnutrido De 1 De Setembro De 2023 Às 09:06,

    A Aeronáutica Faz O Correto De Acordo Com O Inicso II Da CF 88, Ao Exigir Concurso Para Ingresso Em Outra Carreira.

    Conforme Os Inciso I E II Do Art 37 Da CF 88, As Promoções Ocorrerem Somente Na Mesma Carreira. Para O Provimento Inicial Em Outra Carreira Dever Por Nomeação, Após Isso Ocorre A Exclusão Da Carreira De Praças.

    De Acordo Com O Art 13 Do Dec 2.996/1999 Para O Ingresso Na Carreira De Oficiais No Quadro De Oficiais Especialistas Da Aeronáutica (QOEA), É Por Nomeação.

    De Acordo Com A CF 88, A Carreira De Praça Termina Como Subtenente E O Início Da Carreira De Oficial É Como 2 Tenente. Portanto A Promoção De Praça Vai No Máximo Como Subtenente, Para Ingresso Na Carreira De Oficial Deve Ser Por Nomeação E Não Promoção.

    A Carreira De Praça É Distinta Da Carreira De Oficial, Não Pode O Militar Pertencer A Duas Carreiras Distintas Ao Mesmo Tempo, inclusive para efeitos de remuneração.

    DECRETO No 2.996, DE 23 DE MARÇO DE 1999.

    Art. 4º O Recrutamento Para O Concurso De Admissão Ao Estágio De Adaptação Ao Oficialato – EAOF Far-Se-Á Entre Os Suboficiais E Os Primeiros-Sargentos Da Ativa, Que Tenham O Curso De Aperfeiçoamento De Sargentos – CAS, Das Especialidades Correlatas Às Do Quadro De Oficiais Especialistas Da Aeronáutica.(Redação Dada Pelo Decreto Nº 4.576, De 15.1.2003).

    Art. 5o São Condições Para A Inscrição No Concurso De Admissão Ao EAOF:

    DA INCLUSÃO NO QOEA

    Art. 13. Os Suboficiais E Primeiros-Sargentos Que Concluírem Com Aproveitamento O EAOF Serão Nomeados Segundos-Tenentes, Mediante Ato Do Ministro Da Aeronáutica, E Terão Sua Precedência Hierárquica De Inclusão No QOEA Estabelecida Conforme O Critério Estipulado No Artigo Anterior, Obedecendo O Previsto Na Lei De Promoções De Oficiais Da Ativa Das Forças Armadas, Para Ingresso Na Carreira De Oficiais.

    Art. 14. Os Militares Incluídos No QOEA Serão Titulares De Obrigações, Deveres, Direitos E Prerrogativas Previstos No Estatuto Dos Militares E Demais Dispositivos Legais Pertinentes Ao Oficialato.

    1. Pois ele se referiu a isso mesmo, pelo que li. Citou a MB e a FAB como Forças que cobram prova para oficialato, pois que são universos distintos, apesar de não ser concurso externo e dizerem ser interno. Pessoal aqui não sabe de nada, mas tanto na FAB quanto na MB o cara faz concurso para EAM, faz prova para o Curso de SG – Conhecimento específico, militar naval e legislação castrense -e depois para Suboficial e neste interregno de tempo se quiser ir a oficial da Armada, se tiver nível superior com menos de 23 anos na carreira ou Ensino médio com mais de 23 anos – veja que existe diferenças entre oficiais que fazem prova – seguirão a carreira de oficiais da armada até CMG, todavia somente alguns com nível superior. Ninguém aqui esta absorto de invídia ou outro, apenas constatação, todos aquí ta malhando o outro e tão pouco pode ter sua carreira malhada. Tem uma pessoa aqui que só vive atentando contra o pessoal da MB, deve ser um juruna ou QE insatisfeito com comentários abalizados e recalcado com sua pequenez.

    2. Foi Exatamente Isto Que Quis Dizer, Pois Sou Da MB E Tenho parentes Suboficiais na FAB, Pois tanto na MB e FAB temos que fazer concurso interno que é muito difícil e competitivo…porque a prova também é estendida aos sargentos, e as vagas limitadas que no caso da MB fica as vezes 30×1 ou mais. No exército é uma acocha tremenda, pois basta o cara fazer um curso malhado e esperar o oficialato dos praças, pois digo que na MB você faz prova pra entrar na EAM, depois tem que fazer prova para ser sargento, prova para ser Suboficial e se quiser tem que estudar mais ainda para ser oficial AA…abçs

  6. Hoje, ser promovido a oficial do QAO é uma verdadeira loteria, de tão difícil. Aí o cara consegue chegar ao “topo” e não satisfeito vai com sede ao pote e destrói todo o seu currículo, toda a sua história.

  7. Venho um monte de bobagens aqui
    Escritas. Crivellati e bi coroado, zero uno do Sepecial Force nos EUA. Militar de escol. Nada a esconder, nao nada contra ele. Querem o bolsonaro aí ficam nessa.

    1. Muita bobagem aqui: vem um pracinha naval avaliar se o concurso do chQAO dele foi fácil ou difícil, se teve muita vaga ou pouca, fazendo comparações com aA/AFN da MB.
      Independente do falso meçcias” , o primeiro -tenente Crivellati é top !
      Zero de turmas, Comandos, FE, Special force USA”, fala outras línguas , nível superior etc, um cara focado e humilde. Praça Naval, não tenha inveja, só entra em forma!

    2. Mas no Exército não precisa estudar muito pra chegar a oficial dos praça, basta ensino médio pra fazer prova pra ESA somente e o resto vem de graça…kkkkkkkkkkk

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pular para o conteúdo