Novo PAC destina R$ 52,8 bilhões para militares

Caça Gripen E do Brasil
Imagem: Divulgação

Dinheiro será direcionado a investimentos em pesquisa e desenvolvimento, além de equipamentos para as Forças Armadas

O governo federal deve destinar R$ 52,8 bilhões do novo PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) para as Forças Armadas. O valor representa 3,12% do total estimado para o plano (cerca de R$ 1,7 trilhão).

Destes recursos, R$ 27,8 bilhões serão investidos de 2023 a 2026, enquanto R$ 25 bilhões ficarão para depois deste período. O pacote contemplará áreas como pesquisa e desenvolvimento, além de sistemas integradores e aquisição de equipamentos terrestres, aéreos e navais.

A lista inclui caças Gripen, aviões de carga, submarinos e navios-patrulha. O pacote também destinará recursos para a compra de viaturas blindadas e a implantação de sistemas de controle de fronteira.

Leia abaixo como será feita a divisão de recursos:

  • Marinha: R$ 20,6 bilhões;
  • Aeronáutica: R$ 17,4 bilhões;
  • Exército: R$ 12,4 bilhões;
  • Estado Maior: R$ 2,4 bilhões.

Ao todo, são 16 projetos. A Marinha tem a maior quantidade de obras (6), seguida por Exército e Aeronáutica (ambos com 4).

Projetos

Marinha

  • construção do estaleiro e da base naval – submarino nuclear;
  • construção de 4 fragatas;
  • construção de 11 navios;
  • combustível para submarino nuclear e outras aplicações;
  • construção de 1 submarino nuclear; e
  • construção de 3 submarinos diesel elétricos.

Aeronáutica

  • conversão de 2 aviões (aeronave aeromédica e de reabastecimento);
  • compra e produção de 34 caças gripen;
  • aquisição de 9 aeronaves cargueiro; e
  • desenvolvimento de avião-tanque reabastecedor.

Exército

  • desenvolvimento e aquisição de 714 viaturas blindadas sobre rodas e sobre lagartas;
  • pesquisa, desenvolvimento e implantação de uma unidade de mísseis táticos de cruzeiro de longo alcance;
  • modernização de 6 helicópteros Pantera e aquisição de 10 helicópteros de emprego geral e 9 veículos aéreos não tripulados; e
  • implantação e integração dos meios destinados ao monitoramento e controle da faixa de fronteira terrestre.

Estado Maior

  • aquisição de 5 helicópteros de médio porte; e
  • compra de 27 helicópteros leves.

Segundo o governo, a intenção é a de “apoiar ações de comando e controle de desmatamento, gerar empregos e fomentar a neoindustrialização, por meio do desenvolvimento da Cadeia Produtiva e da Tecnologia Nacional ou do chamado Complexo Industrial de Defesa”. Leia mais.

PODER360

 

26 respostas

  1. É isso aí. O que o atual governo dará aos militares será isso. Galera da left que votou esperando aumentinho, que espere pra depois de 2026. kkkk

  2. quais são os militares de verdade?
    todos fazem parte de um conjunto, cada um em sua função.
    controlador, administração, e outros não seriam militares?

    1. Daí vem uma química e todos os generais resolvem realizar diversas visitas com diárias.

      “Usar estrutura do estado para enriquecer”.

  3. Todo investimento em material é bem vindo, mas o que adianta entregar uma aeronave de 350 milhões nas mãos de um piloto com salário de menos de 10.000 e nas mãos de mecânicos Com Vencimentos de 4.000!!!
    Precisamos urgentemente de reajuste nos soldos!!!

    1. Gás? kkkkk… é tudo super dimensionado para compras/contratos parcelados e pagar em 10/20 anos, deixar a conta para os futuros mandatários. É como somar teus ganhos nos últimos 10 anos e alguém dizer: _Mandou bem, ganhou muito dinheiro!

  4. Sera q vai ter uma concha de feijao para o almoco? Ate comida falta.
    Estao conseguindo destruir tudo a comecar pelo sentimento precioso de pertencimento.
    Ja era …

  5. A repetição eterna da série “O Brasil é o país do futuro”.

    Endividem mesmo o país e paguem meus juros no tesouro direto porque precisarei ir curtir minha aposentadoria na Europa. Daqui não levo nem a poeira desse Chão podre.

  6. Não vejo melhoria nenhuma no tocante a saúde, tomamos por exemplo o possante HMAR hOSPITAL mILITAR DE aREA DO RECIFE se arrastando, faltam especialistas, para conseguir encaminhamento p fora só no ultimo dia último do mês, a Emergência é a coisa mais feia do mundo, suja, cheia de mosquitos, banheiros imundos precisando de reforma, as divisórias entre os leitos com as cortinas rasgadas, poltronas p acompanhantes horríveis. comida que servem para os internados é muito ruim, ninguém come e só olhar na lata do lixo depois. será que alguém do comando da 7 Região Militar já precisou ser atendido lá, acredito que não ! ARREGO

  7. Pra quem não sabe:
    – há dezenas de generais e coronéis fazendo diariamente lobby de empresas no Forte Apache.
    Há muitos milhões de reais em jogo em poupadas comissões de intermediários fardados e de pijamas.

    1. Até o jornal Zero Hora, RBS, reconhece o embuste, revelando que pelo menos duas obras incluídas como novidades do PAC 3, no caso as barragens do Arroio Jaguari e do Arroio Taquarembó, anunciadas no PAC 1, não saíram do chão ao longo dos últimos 16 e 15 anos, respectivamente.

      A lista é muito grande, como a prometida duplicação entre Guaíba e Pelotas, que se arrasta por 13 anos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pular para o conteúdo