Comandante do Exército destaca importância da Operação Arandu para Brasil e Argentina

Crédito: ST Huelison (CComSEx)

General Tomás acompanhou as ações com o chefe do estado-maior e com o ministro da defesa argentinos

Crédito: ST Huelison – CCOMSEx

Monte Caseros (Argentina) – Em mais um dia de atividades da Operação Arandu, tropas de unidades especializadas dos Exércitos Brasileiro e Argentino reuniram-se para a execução de várias atividades no terreno na região de Monte Caseros, na Argentina. Na oportunidade, o Comandante do Exército Brasileiro, General Tomás Miguel Miné Ribeiro Paiva, acompanhou as ações com o Chefe do Estado-Maior do Exército Argentino, Tenente-General Guillermo Olegario Pereda, e com o Ministro da Defesa argentino, Jorge Taiana.

Entre as atividades previstas para a quarta-feira, foram realizados a marcha da Força-Tarefa blindada com veículos brasileiros e argentinos; os saltos de paraquedistas dos dois países; os tiros de um esquadrão combinado formado por oito veículos blindados TAM, da Argentina, e cinco Guaranis, do Brasil; um ataque das tropas de operações especiais de ambos os países; e uma travessia de blindados brasileiros e argentinos por ponte estruturada pela engenharia do Exército Argentino. Na Operação Arandu, as ações compõem um exercício simulado que reúne os dois exércitos em uma única tropa combinada.

O General Tomás ressaltou a importância do exercício para o fortalecimento da parceria do Brasil com a Argentina “É uma grande satisfação estar aqui e ter a possibilidade de assistir tantos meios mobilizados, tanto esforço recompensado. Nossa tropa só ganha com isso’.

O Tenente-General Pereda também destacou a importância da Operação. “É um processo que nos amadurece tanto como nação quanto como exército, porque nos fornece confiança, conhecimento mútuo e permite que nossos soldados conheçam e compartilhem essa vivência de campanha”.

Exercício combinado
Até o dia 4 de agosto, os exércitos brasileiro e argentino realizam a Operação Arandu, um exercício entre as duas forças com o objetivo de consolidar a cooperação militar entre ambos os países e reforçar os laços de união, cooperação e amizade entre os exércitos das duas nações. Com participação de 300 militares do Exército Brasileiro e 348 do Exército Argentino, a Operação contará com o emprego de aeronaves e veículos blindados de ambos os países.

Crédito: ST Huelison – CCOMSEx

Do Exército Brasileiro, participarão militares do Estado-Maior do Exército, do Comando de Operações Terrestres, do Comando Militar do Sul, do Centro de Comunicação Social do Exército, da 2ª Brigada de Cavalaria Mecanizada, da 12ª Brigada de Infantaria Leve (Aeromóvel), da Brigada de Infantaria Paraquedista, do Comando de Aviação do Exército e do Comando de Operações Especiais.

Acompanhe a Operação Arandu, clicando aqui.

Centro de Comunicação Social do Exército

6 respostas

  1. Analisando o cenário atual, essa guerra de informações, essa raiva contra o exercito pode crescer, apoiada por milícias do crime organizado, e podem finalmente pegar em armas para provar que o exercito é ineficaz.
    Será a hora da brigada de operações especiais e do 1° BFE, forças especiais de Manaus entrar em ação e mandar esse pessoal prestar contas no inferno.
    Após esses eventos volta a normalidade e cada um se coloca no seu devido lugar e com o rabo entre as pernas APRENDE a lição com duras penas.

  2. Um exemplo é o abandono da fronteira com a Colômbia `a invasão, pilhagem, achaques e contrabando ….desfilam inúteis com seus melancias cucarachos. .

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pular para o conteúdo