CPI do 8/1 aprova quebra de sigilo bancário de Mauro Cid

Mauro Cid Alexandre Cassiano/Ag. O Globo

Coaf identificou movimentação “atípica” e “incompatível” nas contas do ex-ajudante de ordens; comissão também quebrou sigilo telefônico de Anderson Torres.
A CPMI do 8 de janeiro aprovou quebras de sigilos de duas figuras próximas de Jair Bolsonaro, o ex-ajudante de ordens Mauro Cid (foto) e o ex-ministro Anderson Torres.
No tocante a Cid, a comissão aprovou a quebra de sigilo bancário, fiscal e telefônico.
Como noticiado na semana passada, o Coaf identificou movimentação de R$ 3,2 milhões em seis meses, considerada “atípica” e “incompatível” com as contas do ex-ajudante de ordens.
Quanto a Anderson Torres, o ex-ministro terá apenas seu sigilo telefônico e de mensagens quebrados. Ele deverá prestar depoimento à CPI na semana que vem.
O Antagonista

5 respostas

  1. Por mais que queiram convencer o Cidinho de que tudo vai ficar bem…Não vai. O destino dele já está traçado, mudou a direção de sua vida militar e civil 180 graus quando entrou no reinado do Midas, as avessas. Baaaaaaaarrrrrro!!!

  2. Cidinho é um homem de caráter ilibado um oficial da mais alta estirpe. Seu pai afiança tudo que ele faz junto ao EB. Vergonha, a cada dia mais uma nova, agora é sobre a venda de um Rolex pertencente a fazenda nacional – presidência – somente por conta de que faltava um certificado. Na certa ele queria vender e recolher o valor total por via de GRU a fazenda, só pode. Tem ainda gente que defende esse ser.

  3. Fiquei 30 anos no EB. Nunca vi Oficial ladrão ou desonesto. Deve ter sido um praça que mandou as mensagens sem ele saber. Oficial não mente, não é corrupto e só fala a verdade.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pular para o conteúdo