Mauro Cid movimentou R$ 3,2 milhões em seis meses; operação é ‘incompatível com o patrimônio’, diz Coaf

Tenente-Coronel Mauro César Barbosa Cid. CPMI - 8 de Janeiro - 11.07.2023 Foto: Geraldo Magela/Agencia Senado

Relatório do órgão de combate à lavagem de dinheiro destacou transações do ex-ajudante de ordens de Bolsonaro, que tem remuneração de R$ 26 mil; defesa diz que todas as transferências são lícitas

Eduardo Gonçalves

Brasília- O Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf), órgão de combate à lavagem de dinheiro, apontou movimentação “atípica” e “incompatível” nas contas bancárias do tenente-coronel Mauro Cid, ex-ajudante de ordens de Jair Bolsonaro. O militar está preso e é investigado pela Polícia Federal por participar de um esquema de supostas fraudes no cartão de vacina e por manter conversas de teor golpista.

No documento, obtido pelo GLOBO, o Coaf destacou que encontrou nas contas de Cid indícios de “movimentação de recursos incompatível com o patrimônio, atividade econômica ou a ocupação profissional e capacidade financeira do cliente” e “transferências unilaterais que, pela habitualidade e valor ou forma, não se justifiquem ou apresentem atipicidade”.

Procurado, o advogado Bernardo Fenelon, que defende Cid, afirmou que “todas as movimentações financeiras do tenente-coronel, inclusive aquelas referentes a transferências internacionais, são lícitas e já foram esclarecidas para a Polícia Federal”. O criminalista ainda pontuou que “todas as manifestações defensivas são apenas realizadas nos autos do processo”.

Ao analisar as transações financeiras de Cid, o Coaf registrou que o militar movimentou R$ 3,2 milhões em seis meses — de 26 de julho de 2022 a 25 de janeiro de 2023. Nesse período, ele registrou operações de R$ 1,4 milhão em débitos e R$ 1,8 milhão em créditos. Militar da ativa, o tenente-coronel recebe mensalmente uma remuneração de R$ 26.239.

Entre as operações destacadas pelo Coaf, está o envio de remessas aos Estados Unidos no valor de R$ 367.374 em 12 de janeiro de 2023 — data em que Cid e Bolsonaro se encontravam naquele país. Os dois saíram do Brasil no fim de 2022 e não acompanharam a transmissão do cargo para o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

“Considerando a movimentação elevada, o que poderia indicar tentativa de burla fiscal e/ou ocultação de patrimônio e demais atipicidades apontadas, comunicamos pela possibilidade de constituir-se indícios do crime de lavagem de dinheiro ou com ele relacionar-se”, diz trecho do relatório.

O Coaf também chamou a atenção para quatro pessoas que fizeram transações com Mauro Cid. Entre elas, há um “caixeiro viajante”, um “ourives”, um tio de sua esposa e o sargento Luis Marcos dos Reis, que era subordinado do ex-ajudante de ordens na Presidência e também é investigado pela Polícia Federal.

Sobre a movimentação financeira entre Cid e Reis, o Coaf fez o seguinte registro: “Considerando a movimentação atípica sem justificativa e as citações desabonadoras na mídia tanto do analisado como do principal beneficiário, comunicamos pela possibilidade de constituir em vício do crime de lavagem de dinheiro ou com ela relacionar-se”.

Investigação em andamento
Dentro da Polícia Federal, há apurações em andamento que buscam rastrear o dinheiro movimento nas contas de Cid. A PF analisa a existência de um suposto esquema de pagamento de despesas pessoais do então presidente Jair Bolsonaro e de sua mulher, Michelle Bolsonaro, por meio de recursos públicos. Uma das linhas de investigação apura se Cid seria o responsável por coordenar essa operação. Como ajudante de ordens, ele era responsável por cuidar das contas pessoais do ex-presidente e seus familiares. Investigadores também miram as remessas feitas por Cid ao exterior

Preso desde maio
Mauro Cid está preso preventivamente em um batalhão do Exército desde o dia 3 de maio, quando foi alvo de uma operação da PF que investiga supostas fraudes no cartão de vacinação de Bolsonaro e de pessoas ligadas a ele. A apuração aponta que dados falsos foram inseridos nos documentos do ex-presidente e familiares. Leia mais.

O Globo

11 respostas

  1. E ainda tem abobado que fala que o minto é honesto e em seu governo não houve corrupção. Surge um novo tipo de corno, o corno político.

  2. Primeiramente #cidlivre

    Para quem não conhece carreira de oficial, 3,2 milhões de reais é possivel sim. Basta ganhar em dolar, alguns investimentos com sonegação fiscal e marketing multinível

    ps: algumas idas ao garimpo, algumas informações privilegiadas etc também ajudam.

    ps2: a acadimia não é o lugar da moral e ética como eles pregam.

  3. Espero ver as defesas dos apoiadores, para que meu dia seja iluminado por gargalhadas. Eles são puros, corretos, exemplo de moral e caráter ilibado.

  4. Ditado popular que se encaixa pra esse bozoloide que confiou no Minto: “Passarinho que acompanha morcego amanhece de cabeça pra baixo.”

  5. Tem Coisas Que Um Aumento De Salário Não Compra. Uma delas é Ver, Do Conforto De Minha Poltrona, Felpudão, Comendo Minha Pipoca, Tomando Meu Refrigerante, testemunhando Generais, Coronéis E Demais Puxa-Sacos Sendo Literalmente Enrrabados Em Rede Nacional Por Políticos, Muitos Como Esse Postulão Aí, Gaguejando, Se Borrando Todo, Faltando A Verdade, Sendo De Forma Justa, Chamado De Mentiroso E Covarde, Mostrando Toda A Incompetência Que Só A Péssima Formação Da AMAE, Além Da Fraqueza De Princípios, De Caráter De Caráter E De Ética, Realmente É Um Espetáculo A Parte, Pois A Vingança É Um Prato Que Se Come Frio. No Meu Caso Em Particular, Um Prato De Pipoca Com Refrigerante. Que Prossigam As Seções De Humilhação E As Demonstrações De Fraqueza De Nossos “Futuros Chefes”… 😂😂😂🤣🤣🤣…

  6. Matéria do Globolixo ?????!!!!!!!!

    Fala sério, maluco !!!!!!!!!!!!!

    Melhor ouvir a Miriam Leitão cantando samba-canção !!!!!!!!!!!!!

    🤣🤣🤣🤣🤣🤣🤣🤣🤣🤣🤣🤣

  7. Ele movimentou na verdade, metade desse valor, pois a matéria é bem clara , a movimentação tefere- se a débito e crédito, portanto é bem possível movimentar 1.500.000,00
    Matéria tendenciosa.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pular para o conteúdo