Ao tentar se livrar de acusação, Bolsonaro confirma suspeita da PF contra coronel no caso da vacina

Bolsonaro em pronunciamento após derrota nas urnas - Gabriela Biló-1.nov.22/Folhapress

Ao negar manusear o aplicativo ConecteSUS, o ex-presidente afirmou que o coronel Costa Câmara substituiu o tenente-coronel Cid no controle de sua conta no aplicativo

Marcelo Godoy
Era 18 de abril quando o delegado Fábio Alvarez Shor, da Polícia Federal (PF), o homem responsável pela condução do inquérito policial 4874, conhecido como inquérito das milícias digitais, endereçou ao ministro Alexandre de Moraes uma petição com 114 páginas. Pedia a decretação da prisão de seis acusados daquilo que considerava ser uma “estrutura criminosa” e buscas e apreensões em endereços ligados a 17 suspeitos, entre eles o coronel da reserva do Exército, Marcelo Costa Câmara, todos alvos da Operação Venire.

Foram presos pela PF o ​tenente-​coronel Mauro Cid, o major d​a reserva​ Ailton Gonçalves Moraes Barros​, ​o secretário municipal de Governo de Duque de Caxias, João Carlos de Sousa Brecha​, ​o policial militar Max Guilherme, o sargento Luis Marcos dos Reis​ ​e o assessor ​​Sérgio Cordeiro

Coronel da Arma de Infantaria, Costa Câmara serviu na gráfica do Exército e no gabinete do então comandante da Força, Enzo Peri. Passou a trabalhar no gabinete da Presidência em 22 de fevereiro de 2019, após a passagem para a reserva. Durante o tempo em que esteve no 3.º andar do Palácio do Planalto, que abriga o gabinete presidencial, foi apontado como o homem da “Abin paralela”, o responsável pelo “compliance do presidente”. Agia nos bastidores enquanto o tenente-coronel Mauro César Barbosa Cid – outro homem de confiança de Bolsonaro – ficava diante das câmeras.

Em 1.º de janeiro de 2023, tornou-se um dos oito assessores que o ex-presidente tem direito a manter e, nessa condição, viajou três vezes aos Estados Unidos. Acumula atualmente a aposentadoria militar de R$ 26.698,83 e o salário civil de R$ 10.373,30. Fez sua última viagem para assessorar o ex-presidente há 15 dias – só neste ano consumiu R$ 170 mil em diárias e passagens. Sua casa foi alvo das buscas da Polícia Federal no dia 3 de maio. O motivo estava entre as páginas 77 e 81 da petição do delegado sobre o esquema de falsificação de certificados de vacina contra a covid-19. O documento dizia:

“A Secretaria de Governo digital informou que a conta do sistema ‘GOV.BR’ do ex-Presidente da República JAIR BOLSONARO, utilizada para acessar o aplicativo ConecteSUS e gerar os certificados de vacinação, tinha inicialmente o e-mail de cadastro: Mauro.cid@(…)gov.br, associado à conta na data de 27/12/2021, pela Central de Atendimento do ‘GOV.BR’. Posteriormente, na data de 22/12/2022, às 08h20min, a conta do sistema ‘GOV.BR’ do ex-Presidente da República JAIR BOLSONARO teve a alteração cadastral para um novo e-mail denominado “danmarcamara70@(…)com”.

O delegado afirmava que, ao que tudo indicava, a conta do ex-presidente no sistema do SUS era administrada até o dia 22 pelo tenente-coronel Cid, ex-chefe da Ajudância de Ordens da Presidência da República. Segundo ele, “coincidentemente”, logo após gerar o certificado de vacinação às 8h20 do dia 22 de dezembro, o e-mail de cadastro foi alterado para danmarcamara70@(…)com, de Costa Câmara.

Então assessor especial do presidente, o coronel foi nomeado no dia 27 de dezembro para o cargo de “assessor de ex-presidente”, acompanhando Bolsonaro aos Estados Unidos. De acordo com o delegado, a alteração cadastral foi feita a partir do endereço de IP: 170.246.252.101, o mesmo usado para emitir o certificado de vacinação ideologicamente falso, com registro no Palácio do Planalto.

Shor achava que a alteração do cadastro poderia ser atribuída ao fato de que Cid deixaria de assessorar Bolsonaro no 1.º de janeiro. O policial sabia que essa função seria passada a outras pessoas, entre as quais o Costa Câmara. E relatou sua suspeita: “Isso explicaria a mudança no cadastro do aplicativo ConecteSUS do ex-presidente.” Por fim, o delegado explicou que até aquele momento, as informações colhidas indicavam que “Jair Bolsonaro, Mauro Cid e, possivelmente, Marcelo Costa Câmara tinham plena ciência da inserção fraudulenta dos dados”. Tudo com o objetivo de “gerar vantagem indevida para o ex-presidente”.

O papel de Costa Câmara ficou claro quando Bolsonaro depôs. Foi no dia 16 de maio que o ex-presidente sentou-se diante do delegado e passou a ser indagado sobre sua atuação no escândalo dos certificados falsos de vacinação. Cada pergunta do delegado correspondia a uma suspeita da PF. Só na 25.ª indagação sobre a conduta do ex-presidente é que Shor chegou ao nome de Costa Câmara.

O delegado assim consignou a resposta de Bolsonaro: “Indagado se solicitou a Marcelo Câmara, seu assessor, que acessasse o aplicativo ConecteSUS e emitisse o certificado com dados falsos de vacinação contra a Covid-19 em nome do declarante, respondeu que não, pois como jamais tomou vacina contra a COVID, não havendo motivo para emissão do referido certificado”.

Naquele momento, Shor contou a Bolsonaro que a Secretaria de Governo Digital informara que a conta do sistema “GOV.BR” do ex-presidente, usada para acessar o ConecteSUS e gerar certificados de vacinação, passara a ser gerenciada pelo e-mail de Costa Câmara em 22 de dezembro de 2022, após ter permanecido associada ao e-mail de Cid por um ano. O delegado perguntou a razão daquela alteração

ESTADÃO

13 respostas

  1. Pior presidente para os Servidores públicos civis e Militares.
    Entrou pra história como o unico presidente que não concedeu reaj7stes e que tbm não conseguiu se reeleger.
    Você pagou com traição, a quem tanto estendeu a mão.
    Bozo nunca mais.
    Só fez aumentar o tempo de serviço, 35 anos no nabo.

  2. O que Caxias, Tamandaré e Eduardo Gomes uniram, desde suas vidas e mortes até o ano de 2018, este ai destruiu em apenas 4 anos de mandato.

  3. Não entendo porque Bolsonaro falava tanto em evasões nas forças armadas, do descaso com os salarios tendo em vista as outras carreiras de estado, sendo que e quando chegou no poder não fez nada para tanto.
    Deu sim, um grande reajuste para os generais, ferrou com os soldados, cabos e sargentos, como também suas pensionistas, e isso e de fácil constatação porque a inflação levou tudo o que os outros governos garantiram.
    Piorou para os de baixo e beneficiou a cúpula das forças armadas.
    Ainda tem praças burras que vai babar esse cara, fica fazendo pix etc.
    Se alguem ainda tem duvidas va no youtube e veja

  4. Um cara que enterra a mãe de manhã e depois vai na casa lotérica fazer um jogo…dá pra esperar o que de um “ser humano” deste nipe!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pular para o conteúdo