Soldado do Exército morreu espancado após “esbarrão” em festa no DF

Breno tinha 23 anos: polícia pede ajuda da população para auxiliar na captura dos envolvidos - (crédito: Material cedido ao Correio)

Durante a festa, em Santa Maria, o soldado do Exército teria esbarrado em um dos autores, que deu início à briga

Marcus Rodrigues
A briga que terminou no espancamento e morte do soldado do Exército Breno Caraíba, aos 23 anos, teria iniciado por “motivo fútil” após um esbarrão da vítima em um dos autores. O crime ocorreu durante uma festa, em 14 de maio, numa casa de show, em Santa Maria.
De acordo com a investigação, conduzida pela 33ª Delegacia de Polícia (Santa Maria), o crime teve a participação três pessoas, todas identificadas. Um dos suspeitos, Paulo Henrique, 20, foi preso na última sexta-feira (19/5); Os outros dois, Éric da Silva Alencar, 23, beneficiado com o saidão do Dias das Mães, e um menor de idade, de 15 anos, estão sendo procurados.
“Esses amigos [os suspeitos] estavam juntos, ao lado de uma mesa bistrô, e a vítima tentou passar pelo local, que estava muito apertado, com a aglomeração”, detalhou o delegado-chefe adjunto Renato Martins, à frente das investigações.

“Houve um esbarrão no menor de idade e, a partir daí, iniciou-se a confusão. A vítima teria agredido o adolescente com um murro no rosto, e, os amigos, intervieram na situação, para auxiliar o mais novo”, acrescentou Renato.

Mesmo desacordado, Breno continuou a ser agredido pelo trio. “No fim, um dos autores [do crime] pegou a mesinha [bistrô] e agrediu Breno com um golpe na cabeça”, completou o delegado.

A princípio, Paulo e Éric responderão por homicídio duplamente qualificado — por motivo fútil e impossibilidade de defesa da vítima —, além de corrupção de menores.

Paulo Henrique foi preso na sexta-feira(19)/ PC DF

Éric ainda é procurado pela polícia/ PC DF
Os dois são amigos de infância e, em 2018, teriam cometido um duplo homicídio, no Gama. “Por esse crime, inclusive, Éric cumpria pena. À época, Paulo Henrique era menor e respondeu com base no ECA [Estatuto da Criança e do Adolescente]”, concluiu o delegado.

Testemunhas filmaram o espancamento do soldado do Exército Breno Caraíba, morto aos 23 anos durante uma festa, no último fim de semana, em Santa Maria. Amigos e familiares do jovem se despediram do militar na terça-feira (16/5), durante o velório e sepultamento da vítima, no cemitério Parque Memorial, no Novo Gama (GO), Entorno do DF.

Veja as imagens:

METRÓPOLES

Uma resposta

  1. Bandidos, têm sorte que mataram um soldado do exército. Se fosse um soldado da Polícia Militar eu aposto que ele seriam caçados e mandados pra vala…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pular para o conteúdo