O pito do Exército no ex-auxiliar de Bolsonaro por causa das joias

Tenente coronel Cid e Bolsonaro

Comando do Exército ficou irritado com envolvimento do ex-ajudante de ordens de Jair Bolsonaro no caso das joias doadas pela Arábia Saudita

Igor Gadelha
O comando do Exército não gostou nem um pouco de ver o nome do tenente-coronel Mauro Cid, ex-ajudante de ordens de Jair Bolsonaro, envolvido no caso das joias doadas pela Arábia Saudita ao ex-presidente.

Mais do que isso, comandantes do Exército ficaram especialmente irritados com declarações à imprensa dadas por Cid na terça-feira (7/3) confirmando que Bolsonaro incorporou parte das joias a seu acervo pessoal.

Segundo apurou a coluna, o ex-ajudante de ordens foi advertido por superiores que, como militar da ativa, deve evitar falas públicas. Cid foi orientado pelos comandantes a submergir.

Conforme revelou o jornal O Estado de S. Paulo, o tenente-coronel chegou a se auto-escalar para tentar resgatar pessoalmente parte das joias doadas pelos sauditas apreendidas pela Receita Federal.

Aliados de Cid afirmaram que o ofício no qual se escalou foi produzido erroneamente. No lugar dele, foi designado para a missão o primeiro-sargento da Marinha Jairo Moreira da Silva.

METRÓPOLES/montedo.com

14 respostas

  1. Esse Ten Cel não pode ficar ileso dos atos.
    Nâo é porque você quer ser leal a chefia que deve cometer crimes. Por muito menos, assisti um ajudante de ordens de elevada autoridade militar sair porque não concordava com a forma com que era conduzido o serviço, que, inclusive, estava prejudicando a sua vida pessoal. Pagou um preço.
    O Ten Cel não era obrigado a fazê-lo, fez porque quis, poderia ter se negado, agora, tem de pagar.

  2. Pito merecido, atitude não condizente. Se envolveu numa questão obscura, o funcionário da RF informou ao Sgt da marinha que não resolveria nada por telefone, quando este o colocou na linha. Acertadamente. Leonel de Moura Brizola diria: Há os interesses.

  3. Queria ludibriar, enganar, meter uma bola nas costas do funcionário, além de ter colocado outro militar a fazer algo que ele próprio sabia que era ilícito, e ganhou um pito?

    Seguindo o mesmo raciocínio destes que deram o “pito”, militar faltar serviço mereceria um elogio, e 2 dias de dispensa.

  4. Espero que receba duas coisas: a primeira seria a observância do devido processo legal e a segunda seria os rigores da lei nele. Bons exemplos são exemplos a serem seguidos e maus exemplos são exemplos a não serem seguidos, esse militar da reportagem não é um mal exemplo e sim um péssimo exemplo e quem diz o contrário “bom sujeito não é”.

    1. Estão dentro de quatorze Containers, salvo engano, e todos catalogados, pare de mentir. Não gosto dele, mas não se deve inventar fakes. Pesquise antes de dizer inverdades.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pular para o conteúdo