Lula nomeia 122 militares para o GSI. Confira os nomes

GSI

Nomeações devem substituir os 79 afastamentos anunciados nos últimos dias; outros 2 militares foram dispensados

O governo federal designou 122 militares para cargos no GSI (Gabinete de Segurança Institucional) e para a segurança do presidente da República. As nomeações são feitas depois de o governo dispensar militares de cargos na segurança da Presidência.

Ao todo, 121 militares devem ocupar cargos de “especialista”“secretário”, “supervisor” e “assistente” no GSI. Um militar foi designado para a segurança da Presidência e outro foi nomeado para o escritório do GSI no Rio de Janeiro.

As portarias foram assinadas na última 6ª feira (27.jan.2023) e publicadas nesta 2ª feira (30.jan.2023) no Diário Oficial da União. Eis as íntegras:

Os militares anunciados devem substituir os 81 dispensados pelo governo federal nos últimos dias. Desse total, 2 foram dispensados em portaria divulgadas nesta 2ª feira (30.jan). Eis as íntegras:

As substituições foram realizadas depois que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) afirmou que tinha desconfiança em relação aos militares. O petista disse que “muita gente” das Forças Armadas foi “conivente” com a invasão aos Três Poderes. Ele também afirmou que alguém abriu a porta para que a turba entrasse.

O presidente disse ainda que não confiava o suficiente em militares que não conhece há anos para tê-los à sua volta. Eis a declaração:

“Agora, por exemplo, eu não tenho ajudante de ordens. Meus ajudantes de ordens são meus companheiros que trabalharam comigo antes. Por que eu não tenho? Eu pego o jornal está o motorista do Heleno dizendo que vai me matar e que eu não vou subir a rampa. O outro diz que vai me dar um tiro na cabeça e que eu não vou subir a rampa. Como é que eu vou ter uma pessoa na porta da minha sala que pode me dar um tiro? Então eu coloquei como meus ajudantes de ordem os companheiros que trabalham comigo desde 2010, todos militares.”

poder360/montedo.com

3 respostas

  1. Pronto, muita espuma por causa de nada. O que o governo fez foi dispensar todos aqueles que foram nomeados pela Gestão anterior, e nomear novamente outros militares para construir uma nova Relação de Confiança. Uma vez estava conversando com um comandante de uma OM Sensível que era o BSup e ele falava que qdo assumiu o Batalhão Não poderia nomear nenhuma pessoa de sua Confiança teria que trabalhar com os que ja Estavam ali.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pular para o conteúdo