Lula se apequena ao perseguir um Tenente-Coronel

Lula: é provável que petista tenha sentido vontade de disputar o noticiário negativo com Bolsonaro. Conseguiu
Imagem: montagem sobre foto reprodução do Youtube

Cláudio Magnavita*
O novo comandante do Exército, General Tomás Miguel Ribeiro Paiva, foi ajudante de ordens do Presidente Fernando Henrique Cardoso.Quando nasce uma confiança entre o chefe do Executivo e sua ordenança, o primeiro mantra é do nada escuto, nada vejo e nada digo. Que na prática, é bem diferente. Um bom AJO é que tudo vê, tudo escuta e serve de grilo falante para o chefe nos momentos de mais absoluta intimidade. O silêncio é tumular do Gabinete para fora. Não há hipótese de migrar para um livro de memórias.

Com Fernando Henrique e a sua vida íntima bem longe da Dona Ruth, a função do Ajudante de Ordem era ainda mais delicada. Um FHC arisco, namorador e que teve uma pseudo paternidade que apavorou o seu entorno.

No caso de Fernando Henrique, havia nuances delicadas ligadas a Sérgio Motta, seu sócio e ex-ministro das Comunicações, que faleceu no poder, e tinha ainda as agendas do filho e do genro. Um malabarismo para qualquer AJO.

Este discernimento sobre o General Tomás será fundamental para afastar as neuroses que estão trucidando e ameaçando afetar a carreira do Tenente Coronel Mauro César Barbosa Cid. A construção das diferentes teorias conspiratórias sobre atuação do rapaz chega a ser criminosa.

Como uma instituição com a solidez do Exército brasileiro, com o DNA de Caxias, como baluarte do estado, tem o seu comandante trocado só porque ele se recusou a punir um tenente-coronel que serviu como AJO do ex-presidente e estabeleceu vínculos de confiabilidade similares ao do General Tomás com FHC?

É inacreditável que um presidente da República se detenha ao capricho de ser tão pequeno e intervir no seu Exército para conseguir a punição de um tenente-coronel, que passou em um sistema seletivo com distanciamento histórico do resultado eleitoral, só para seguir sua carreira, exatamente como fez o general Tomás, elevado hoje ao maior posto da sua arma?

O Tenente-coronel Mauro César Barbosa Cid tem nas suas veias o sangue da corporação. É filho do respeitado general Mauro Cesar Lourena Cid. Foi educado e criado em vilas militares, peregrinando pelo país. Seguiu os passos do pai e entrou no oficialato. São dezenas ou centenas de oficiais que seguem na carreira militar os passos dos seus antepassados. Esta sucessão de gerações é um dos pilares da vida verde-oliva. O próprio FHC, do General Tomás, era filho e neto de generais. Não seguiu carreira, mas foi comandante supremo das Forças Armadas.

Como o Brasil vai ser pacificado se o comandante supremo das Forças Armadas atual, Luís Inácio Lula da Silva está se apequenando ao exigir e constranger o Exército em pedir, em bandeja de prata, a cabeça de um militar exemplar em plena ascensão funcional?

Lamentável o ministro José Múcio não ter sido ouvido. As suas ponderações não são fruto do medo, são de uma maturidade e racionalidade que não deixa o fígado falar mais alto.

O que foi feito com o general Júlio César Arruda é fruto desta biles de vingança. Ele não se ofereceu para o cargo. Foi chamado pelo critério de antiguidade. Para ele foi um alívio ter sido desobrigado da coação de punir colegas ou ficar a serviço desta psicose, quase histérica e paranoica, que coloca o respeito no segundo plano. Não se vai conquistar ou seduzir a tropa oferecendo equipamentos e investimentos. Militares não são índios que se compram por bijuterias. Foi errado o tom da primeira reunião com os três comandantes. O General Arruda e o Tenente Coronel Cid sairão gigantes perante o Exército destes lamentáveis episódios.

*Diretor de Redação do Correio da Manhã

Correio da Manhã/montedo.com

22 respostas

  1. No linkedin O pseudo jornalista é especialista em turismo e aviação, deveria continuar a escrever do que sabe. Eu aqui mesmo no blog do Montedo postei de um fato que aconteceu com coronel que serviu como segurança do Juscelino, e que anos mais tarde foi impedido de fazer a Eceme. O próprio General Fernando foi aJO do Collor e isso não impediu de chegar ao generalato. A carreira de militar se dá por seus próprios méritos, conduta e dedicação, e não pelo fato de ser filho ou não de um militar ou general, não é salvo conduto para que o mesmo chegue ao generalato. Eu passei 30 anos dentro do Exército e foram poucos os militares que me impressionaram, pela conduta, pelo profissionalismo, do que é ser um militar de acordo com as minhas convicções, do perfil do militar. e dos que mais me impressioram, eram os filhos do primeiro paraquedista militar do Brasil, os dois fizeram ECEME, e não saíram general. Quem é do meio militar sabemos que vivemos numa casta, mas com mobilidade e possibilidade de qualquer um por meritocracia chegar as posto máximo, não fosse assim, o General Gleuber, filho de sargento, não chegaria nunca a general e sequer a comandante do Exercito, o famoso general Guilherme “Toquinho da Maldade” o irmão dele era sargento. Com isso, coloca-se por terra boa parte dos argumentos usados pelo jornalista. Em relação ao Coronel Cid, acredito que se ele fosse indicado para comandar um Batalhão no Rio Grande do Sul, no Paraná, ou em qualquer outro lugar não teria nenhum problema. Ele foi indicado para o BAC, quem é militar sabe da importância estratégica do batalhão, da sua capacidade operacional em operar em qualquer situação. E aí vem o grande problema do TCel Cid, o seu nível de envolvimento com o ex-presidente, foi muito além das funções de AJO, tanto que ele esta sendo investigado em 2 inquéritos pelo STF. Como comandante do BAC ele tem se quiser, capacidade operacional de atentar contra qualquer um dos membros dos poderes. E vocês não acham que o presidente e a cúpula do governo não tem essa informação, que eles não sabem o que fazem os FE/Comandos e a capacidade do Batalhão. sendo assim, diante de um AJO que junto com o ex-presidente que passou 4 anos tentando contra o STF, que tentou de todas formas permanecer no poder, criou uma minuta do golpe que esta sendo investigado pelo PF, que os 4 generais que assessoravam os ex-presidente defendiam teses golpistas, vc colocar alguém tão intimamente ligado ao ex-presidente em uma posição de comando em uma OM com tanto poder de ação e combate, é brincar com fogo, é melhor cortar o mau pela raíz. O Ministro Alexandre de Morais bem que poderia colaborar, e diante das provas da PF contra o TCel Cid, já fazer busca e apreensão e conduzi-lo para depoimento, convenhamos a PF chegando na sede do BAC fazendo busca e apreensão e conduzindo o comandante para depoimento seria uma cena deplorável para o EB, que como instituição perdeu muita credibilidade junto a população, por seu comportamento nos últimos 4 anos. Nós somos responsáveis por nossas ações e temos que responder por elas. Duvido que se fosse um sargento indicado para comando de um Tiro de Guerra, e aparecesse um pequeno problema de conduta desse militar ele permaneceria indicado. Em relação ao presidente perseguir o coronel, a transição de um governo para outro não foi cordial e nem amistosa, sendo assim, quem ganhou não tem nenhuma obrigação de ser condescendente, e vai cortando a cabeça, primeiro dos mais fracos, e assim por adiante, a história é feita e contada pelos vencedores.

      1. Você se esconde atrás da parcialidade do Montedo.com.br, s ten Motivado pois se o nobre parcial Capitão QAO Montedo só pública aquilo que lhe agrada e que agrada os estamentos superiores. Vida que segue.

  2. Eu Li Só Baboseiras, Que Me Desculpe O Subscritor Da Nota. Uma Relação Funcional Não Pode Demandar Promiscuidade, Se Assim For comprovada. Não Houve Qualquer Problema Que Maculasse A Relação Anterior De Ajudante De Ordens Do Atual Comandante Do EB Com FHC, Bem Como De Itamar Franco, Tanto Que Continuou No Cargo Mesmo Após Passagem De Faixa. Comparação, Deveras Esdrúxulas E Sem Cabimento. Pesam Nesse Ex AJD Inúmeras Investigações de fatos Grotescas No Cargo Que Ocupou. Como Todo Servidor Público Ordeiro E Moral Deveria Fazer O Certo E Deixar O Cargo Que se Ocupe Ou Pedir Para Aguardar a assunção de Cargo, Após As Investigações

    1. Pega o Gen Gonçalves Dias que foi o Ten Cel Cid do Lula e joga nessa vc vala comum, pesquisa a carreira dele, o Lula e ladrao e tá lá nos autos, entao o Ajudante de Ordens do então Presidente, Cel Goncalves Dias no mínimo sabia, nao podemos ter dois pesos e duas medidas.

    2. Mimimi a carreira do rapaz mimimi.. se fosse um praça até o mais ignóbil jornalista que mal sabe argumentar iria julga-lo culpado de tudo.

      Isso tem que acabar, errado sempre será errado do Cmt EB ao recruta.

  3. Apequenado ele já está há muito tempo, não deveria nem ser candidato a nada, mas foi “descondenado” para concorrer como a última cartada da esquerda predatória.

  4. Quanto recalcado nesse blog. Está dando nojo ler diversos comentários aqui infelizmente. Tanta gente torcendo contra a própria classe.

    Obs: eu sou praça e ainda continuo valorizando a instituição e todos os seus integrantes, seja oficial ou praça!

  5. Se apequena quem o critica, depois da depredação dos prédios do governo, ele deveria ter demitido muita gente já no dia seguinte. É opinião de bolsominion inconformado.

  6. Tem que ser investigado e se for encontrado algum indício, que pague. Como qualquer pessoa normal. Afinal, como já disseram aqui, se fosse praça já estaria é preso antes de ser julgado, e ninguém estaria preocupadinho com a carreira do mesmo. Então, pau que bate em Chico tem que bater em Francisco TB.

    1. Porque o espanto? Våo querer passar pano pra ele tambem como fizeram com o ex-capitåo Bolsonaro? E se fosse um Praça o que iriam fazer!? “Pau que da em Chico da em Francisco tambem…”

  7. Eu Não sei aonde esse pessoal andou servindo ou que ficaram fazendo no exercito. Eu nao conheco o Pazzuelo, nem tenho procuracao para defende-lo. estive presente numa reuniao Que ele convidou um grupo de pessoas onde estava um procurador da República, Secretários de estado, etc. O Pazzuelo foi muito mau como ministro da Saude, invencao do capitao desajustado e indisciplinado. Mas a carreira do Pazzuelo no exercito e brilhante, para quem era bem informado ele era carta marcada para sair general, ele e o general Garrido, ele era Cabeça de turma, todos os cursos operacionais do Exército e FE, poucos sabem mais ele foi interventor no estado de Roraima e colocou ordem na Administração do estado. E ficou queimado por querer agradar o presidente.

    1. Com certeza, a primeira providência seria colocá-la como excedente e fora da escala Hierárquica. Ficaria alijada de suas promoções junto a sua turma, cursos de carreira, Comissões e outras missões. Agora, com determinados oficiais de alguns quadros, isso nunca acontece, pois há um certo corporativismo do núcleo, com vistas a proteger seu mundo.

  8. Se a população não fosse omissa e condescendente com políticos criminosos não estaríamos nesta situação, claro tudo com apoio da Suprema Corte que descondenou um cidadão após ser condenado em várias instâncias com provas robustas. Quando os bons se omitem ou se calam, os maus tomam conta. Os que se abstiveram de votar, por não concordarem com os candidatos concorrentes, permitiram de forma irresponsável, que o atual presidente voltasse à cena do crime, palavras do seu vice.

  9. Pode falar o que quiser, mas o LULA é ladrão…..kkkkkkk o PT é uma vala de destruição.

    quanto o resto é só especulação.

    e o salário….. óóóóóóóóóóóó

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pular para o conteúdo