Planalto vê ‘fritura’ do Exército contra ministro do GSI

MISTÉRIO - G. Dias: até aqui, silêncio sobre negligência e omissão do GSI – José Cruz/Agência Brasil

Leitura é que Alto Comando deseja emplacar um outro nome para substituir Gonçalves Dias

Mariana Carneiro
Integrantes do Palácio do Planalto dizem crer que está em curso um processo de “fritura” do ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), Gonçalves Dias, pelos generais que compõem o Alto Comando do Exército. O intuito é emplacar um substituto.

G Dias foi escolhido para o cargo por Lula (PT), após ter chefiado a segurança do presidente. Mas ele é um general da reserva de três estrelas, abaixo da hierarquia do Alto Comando, formado por generais quatro estrelas.

A leitura se baseia em algumas evidências. A primeira delas foi a indicação formal pelo Exército, na semana passada, do general de brigada Ricardo José Nigri para o cargo de secretário-executivo do GSI – o número dois de G Dias.

Embora a escolha do ocupante do cargo seja prerrogativa do Exército, as nomeações costumam ocorrer em acordo com o ministro do GSI. Nigri foi auxiliar do ex-comandante do Exército Eduardo Villas Bôas e não é alinhado a G Dias.

No mesmo documento, o Exército também fez indicação do general de brigada Marcius Cardoso Netto para a Secretaria de Segurança e Coordenação Presidencial, que também passará por mudança.

Na semana passada, G Dias não participou da reunião de Lula com Múcio e os chefes das Forças Armadas. Não foi convidado nem pelos militares nem pelos civis que compuseram a mesa.

Mensagens de um grupo de Whatsapp usado pelo GSI e pelo Comando Militar do Planalto foram divulgadas em reportagem da revista Veja, em que foi noticiado que o GSI não pediu reforços na equipe que cuida do Palácio do Planalto no dia 8 de janeiro.

A divulgação das mensagens, na visão de membros do Planalto, indica uma quebra na proteção interna que costuma ocorrer entre os militares.

Conforme mostrou a Coluna, logo após os ataques ao Planalto, em 8 de janeiro, G Dias também foi alvo de críticas no Palácio do Planalto. O ministro-chefe da Casa Civil, Rui Costa, reclamou que a segurança do prédio não havia sido reforçada antes da invasão. O militar, por sua vez, argumentou que seguiu os protocolos e tentou responsabilizar o furo no bloqueio feito pela Polícia Militar do Distrito Federal na Esplanada.

ESTADÃO/montedo.com

2 respostas

  1. Brazil, mostra sua cara!
    Perante a Bandeira do Brasil e pela minha honra, prometo cumprir os deveres de oficial do Exército Brasileiro e dedicar-me inteiramente ao serviço da Pátria!”.

  2. LEI Nº 7.739, DE 16 DE MARÇO DE 1989.

    Art. 3º São os seguinte os Ministérios:

    Parágrafo único. São Ministros de Estado os titulares dos Ministérios, bem assim o Chefe do Gabinete Civil, o Chefe do Gabinete Militar, o Chefe do Serviço Nacional de Informações e o Chefe do Estado-Maior da Forças Armadas. O Ministro de Estado do Planejamento chefia a Secretaria de Planejamento e Coordenação

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pular para o conteúdo