Escolha uma Página

Celia Froufe
Ex-presidente afirmou ainda que ‘não é fácil’ fazer com que Simone Tebet (MDB) suba nas pesquisas, mas destacou que muita coisa ‘imponderável’ pode acontecer até o pleito
O ex-presidente da República Michel Temer (MDB) afirmou que a campanha presidencial deste ano pode ser pautada por eventuais excessos e certa “ferocidade”, mas minimizou a hipótese de ocorrer um golpe de Estado, temor despertado pela desconfiança demonstrada pelo presidente Jair Bolsonaro (PL) sobre as urnas eletrônicas. “Se fala de um golpe, mas eu não acredito que haja condições para isso”, afirmou durante entrevista ao programa Canal Livre exibido neste domingo, 17, pela Band.
De acordo com o ex-presidente, uma ruptura institucional só acontece se as Forças Armadas “quiserem”. “Tenho absoluta convicção de que as Forças Armadas não entram nisso, portanto não haverá ruptura”, disse. Na avaliação de Temer, as pessoas e corporações têm saído do seu “quadrado constitucional”, o que está gerando “confusão”. “O Tribunal (Superior Eleitoral – TSE) errou quando chamou setores das Forças Armadas para colaborar com as eleições”, disse, salientando que esse setor já atua historicamente de várias formas nos pleitos, em especial na logística das urnas, no transporte a áreas remotas do País. Leia mais.
ESTADÃO/montedo.com

Skip to content