Escolha uma Página

Em vídeo, o general da reserva Paulo Chagas afirmou, nesta segunda-feira (11), que o assassinato de um guarda civil petista por um bolsonarista em Foz do Iguaçu (PR), no sábado (9), “é o arauto de coisas muito piores”.
“A radicalização está levando a disputa para a Presidência da República às raias da violência, como se ideias e posições políticas e ideológicas pudessem ser combatidas pelo argumento da força, e não pela força dos argumentos. Episódios como esse já deveriam ser história no nosso processo evolutivo. É preciso, portanto, que nós meditemos sobre esse fato, que é o arauto de coisas muito piores”, afirmou
“Todos temos que entender que o embate entre as ideias, entre as propostas, se dá pelo diálogo pela discussão inteligente, e não à bala, como lamentavelmente ocorreu em Foz do Iguaçu”, disse.

Assista:

Skip to content